Rodrigo Costa da Rocha Loures

Gestão 2003 - 2011

Nasceu no dia 1º de Julho de 1943, em Curitiba, Paraná. 

Formado em Administração de Empresas pela Fundação Getúlio Vargas, em São Paulo. No ano de 1968, fundou a Nutrimental, indústria do segmento alimentício que emprega, atualmente, cerca de mil funcionários.

Desde 1º de outubro de 2003, preside o Sistema Federação das Indústrias do Estado do Paraná (FIEP). Foi reeleito em 2007, para um mandato de mais quatro anos. É vice-presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), presidente do Conselho Temático Permanente de Política Industrial e Desenvolvimento Tecnológico da CNI - COPIN e presidente do Conselho Deliberativo do Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade (IBQP).

Loures integra o Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social da Presidência da República e é titular do Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia.

É membro da Fundação Brasileira do Desenvolvimento Sustentável (FBDS), da World Business Academy (WBA) e do Instituto ETHOS de Responsabilidade Social.

Alguns empreendimentos da Gestão:

- Rede de Tecnologia do Paraná - RETEC

- Rede de Participação Política do Empresariado;

- Cartão Sesi. Implantação em 2006.

Eventos realizados:

Congresso da Indústria Paranaense (2004, 2006, 2009);

Histórico Edição 2004 (Para saber mais clique aqui)

O mapeamento de vocações das regiões do estado, fruto do Congresso 2004, teve diversos resultados práticos. Um dos mais significativos foi a abertura do debate sobre a criação de Agências de Desenvolvimento Regional para auxiliar o setor produtivo a expandir seus negócios.

Exemplos pontuais também estão sendo levados à frente na região de Irati, onde uma área de 150 mil hectares está sendo reflorestada com pinus para atender à demanda de matéria-prima da indústria. O projeto envolve empresários e prefeituras de 12 municípios.

Em Londrina, foi criado o Centro Técnico de Moda, do Senai.

São exemplos que mostram que a capacitação e a produção voltadas para o futuro são estratégias para o desenvolvimento industrial.

Histórico Edição 2006 (Para saber mais clique aqui)

Mais de duas mil pessoas participaram do maior encontro da Indústria do Paraná, em 2006. Em sua segunda edição, nos dias 25 e 26 de abril, em Curitiba, o Congresso Paranaense da Indústria teve como tema central a melhoria da performance do setor industrial.

Empresários, executivos, lideranças políticas e sindicais, técnicos e especialistas de diversas áreas foram unânimes em apontar a participação da classe empresarial no cenário político brasileiro como condição essencial para o fortalecimento da indústria e a promoção das mudanças que podem colocar o país na rota do crescimento sustentável.

O Congresso foi palco do lançamento da Ação Política Empresarial, movimento que nasceu sintonizado com outras iniciativas em nível nacional. No Paraná, ele representa a vontade e a necessidade da classe industrial de se manifestar em relação às questões que envolvem a cidadania. Fazendo-se ouvir, a indústria estará dando uma contribuição relevante, muito além da esfera econômica, para o fortalecimento da instituições democráticas no país.

Neste ano de 2009 as atividades do Congresso da Indústria vieram de encontro com as seguintes temáticas:

- Crescer após a crise internacional;

- Inovar em produtos e serviços;

- Dialogar sobre a contribuição da indústria para o desenvolvimento local.

- Definir a agenda de prioridades da indústria. 

Congresso de Inovação na Indústria

Com sua primeira edição em 2006, foi idealizado e coordenado por Rodrigo da Rocha Loures. Para ele, o pouco estímulo à inovação no Brasil decorre da falta de estimulo ao empreendedorismo. E ainda, a inovação nem sempre implica em novas invenções, o importante vem de encontro em absorver tecnologias e adaptá-las à realidade para oferecer algo de novo e útil também é inovar. No 2° Congresso de Inovação na Indústria ocorreram alianças que, através de estudos, identificaram pontos essenciais para a implementação de uma política industrial e de inovação no Brasil. Ainda neste encontro, foi aprovada como meta a necessidade de as empresas privadas triplicarem os investimentos em Pesquisa e Desenvolvimento até 2010 para que o país possa se aproximar de competidores internacionais.

Apoio a micro e pequenas empresas 

Através do Consórcio entre a Fiep, a Diretoria de Captação e Fomento, o Sebrae/PR, o Lactec, o IBQP, sendo liderado pela Fiep, propôs uma linha de crédito específica para o financiamento de pesquisas voltadas para a inovação e o desenvolvimento tecnológico, sendo a única contrapartida da empresa fornecer um percentual mínimo do projeto a ser financiado. 

Movimento Nós Podemos Paraná 

Movimento em prol dos objetivos de Desenvolvimento do Milênio, além de fortalecer as atividades dos Núcleos Regionais formados em 2006 e apresentar indicadores de desenvolvimento do milênio. Os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio foram propostos pela Organização Mundial das Nações Unidas e são uma série de metas socioeconômicas, que abrangem as áreas de renda, educação, saúde, gênero e meio ambiente. Possui como objetivos contribuir para que o Estado alcance os ODM até 2010. 

Investimentos em ampliação e modernização de Centros Integrados 

Localizados nas cidades de Curitiba, Londrina, Cascavel e Ponta Grossa, os Centro Integrados participaram do programa de investimento do Sistema em 2007, em prol de ampliação e melhoramentos no atendimento às indústrias paranaenses em todo o Estado. 

Coleção Inova 

Tem como tema a inovação social, com uma iniciativa do programa Inova, desenvolvido pelo Senai, Sesi, IEL e Unindus, e visa promover ações de criatividade, empreendedorismo e inovação na indústria. As edições são organizadas por profissionais do Sesi Paraná, com a colaboração de autores renomados, com o primeiro volume organizado pelo Senai e lançado em 2006. 

Movimento Global Fórum 

O primeiro Global Fórum reuniu 400 líderes empresariais e representantes do mundo acadêmico de 40 países. Foi realizado em Cleveland (EUA), em 2006, por iniciativa da Escola de Negócios da Case WEstern Reserve University. Os resultados desta edição latino-americana serão levados ao Global Fórum mundial, marcado para 2009. (Gazeta do Povo Classificados, 11/05/2008). 

Dedicado a reflexão sobre como formar profissionais comprometidos com as questões sociais e ambientais, ou seja, sustentabilidade, capazes de enfrentar os novos desafios do desenvolvimento sustentável e que entendam a extensão da sustentabilidade nos seus três pilares: econômico, social e ambiental. Em 2008 reuniu 1.300 pessoas em Curitiba, e a partir deste encontro desdobrou-se em outros dois eventos, o Global Fórum América Latina e o Call for Action (Chamada para a Ação). (Revista Observatório, 05-06/2008). 

Global Fórum América Latina, realizado em junho de 2008, teve como principal debate, o papel da educação para os negócios, com foco na sustentabilidade, sob a temática "Princípios da educação em administração e gestão responsável." 

Já o encontro do Pacto Global realizado dentro da programação do Global Fórum América Latina em junho de 2008, promoveu a discussão sobre o papel das instituições educacionais na formação de líderes sócios e ambientalmente responsáveis. Tem por objetivos uma chamada às empresas para a adoção, em suas práticas de negócios, de valores fundamentais e internacionalmente aceitos nas áreas de direitos humanos, relações de trabalho, meio ambiente e combate à corrupção. (Gazeta do Povo, 16/06/2008). Saiba mais aqui

Centro de Memória do Sistema Fiep
Avenida Cândido de Abreu, 200 - 1° andar | Curitiba | Paraná | Fone: 41 3271-9317 e 41 3271-9065

A Rede de Participa´┐Ż´┐Żo Pol´┐Żtica, apartid´┐Żria, prioriza o debate democr´┐Żtico, com respeito ´┐Ż diverg´┐Żncia de id´┐Żias e liberdade de express´┐Żo.Para que todos tenham oportunidade de expor seus pontos de vista. dentro de princ´┐Żpios ´┐Żticos, seguem algumas orienta´┐Ż´┐Żes: 1) N´┐Żo ser´┐Ż permitido nenhum tipo de campanha, seja partid´┐Żria ou comercial; 2) N´┐Żo ser´┐Żo tolerados textos com teor pornogr´┐Żfico ou que sejam ofensivos a qualquer participante; 3) Todos os textos ser´┐Żo de responsabilidade dos seus respectivos emitentes; 4) Os administradores do site t´┐Żm autonomia para retirar do ar qualquer opini´┐Żo que fuja do contexto ´┐Żtico e democr´┐Żtico do debate.