Envie para seus amigos

Verifique os campos abaixo!






Comunicar Erro

Verifique os campos abaixo!




08/04/2022

III Rodada Startups para a Prosperidade

Educando na Sustentabilidade

A 3ª edição da Rodada Startups ODS, neste ano, trouxe reflexões sobre os negócios para a prosperidade. Estamos no caminho da amenização da pandemia e o surgimento de novos desafios globais, sociais e econômicos. É correto afirmar, o tempo não para. A mudança é constante e refletir em novos modos de ação são necessários, a não ser reconhecer como sendo cruciais para que o desenvolvimento sustentável realmente seja concebido.

 

A Coordenadora Executiva do CPCE,  acolheu os participantes e observa a visão que muitos tem sobre a Agenda 2030 de que trata apenas de iniciativas de impacto  social, outros apenas o econômico e outros o ambiental, mas reforça que não há Sustentabilidade, senão houver o equilíbrio entre os eixos. Relembra as edições anteriores do evento, no qual trataram de soluções realizadas por Startups que impactavam no eixo Pessoas (1, 2, 3, 4, 5 e 10) e no Eixo Planeta ( 6, 7, 12, 13, 14 e 15) consolidando o conceito de  que a Agenda deve ser integrada, interligada e indivisível. Para tal, cita como fator relevante no atingimento das metas a educação de qualidade e o envolvimento dos setores (público, privado e terceiro setor) para fomentar a transformação da sociedade. Assim percebemos em nosso dia a dia os impactos que as Mudanças Climáticas, Pandemia e Guerra na Ucrânia em todo o mundo e impactando diretamente no alcance das metas dos ODS. Ainda destacou em sua apresentação o papel do Sistema Fiep na aceleração de startups, na disseminação de boas práticas dos ODS, promovendo a educação de qualidade  e a importância da Indústria como agente na mudança e comemorou o engajamento dos conselheiros na promoção dos projetos, práticas e processos sustentáveis.

 

Durante o painel, o evento contou com a participação de cases e práticas dos conselheiros, confirmando a importância da agenda sustentável aplicada aos novos negócios, pois atender estas demandas, é atender as expectativas do novo mercado consumidor.

 

Iniciando o painel, o Sicredi apresentou o Programa Inovar Juntos, que consiste na aproximação ao Ecossistema de Startups, fortalecendo o empreendedorismo e o intraempreendedorismo, como ressalta, o Valerio Araújo, Gerente de Open Finance e Inovação do Sicredi: o programa é uma oportunidade de troca, onde o relacionamento entre o banco e as startups, promove o desenvolvimento não só do negócio, mas de novas competências dos envolvidos, além de solucionar problemas. Gerando impacto aos associados que contam com a tecnologia para melhoria da gestão produtiva do seu agronegócio. (ODS8)

 

Na sequência, a representante da Matrix Cargo, Taiuska Villa de Lima, mostrou como a inteligência artificial  e a inovação (ODS 9), contribuem para o transporte eficiente e sustentável. Comenta, que durante a pandemia, o aumento do consumo dos serviços de transportes, evidenciaram a necessidade de melhorias na redução de custos e despesas, na distribuição eficaz, controle do processo e logística reversa, assim, a aplicação de Inteligência Artificial nos processos, tem como objetivo gerar a eficiência, contando com a tecnologia nas mãos dos próprios motoristas que de forma colaborativa, apoiam na inclusão de informações, para que o aplicativo possa definir parâmetro para melhor utilização do veículo na sua capacidade total, trajeto e de manutenção, resultando em indicadores de economia e redução do impacto ambiental.

 

Para compartilhar sobre a contribuição das cidades (ODS 11) para a prosperidade, contamos com o depoimento gravado de Felipe Farhat, articulador da Agenda 2030 na CEDES, sobre as Cidades Inteligentes (Smart Cities).

Recebemos ainda, conselheiro da UNA, Albert Estiarte, apresentando o cenário em ascensão nas práticas ESG, emergidas durante a Pandemia, como relevantes para o futuro dos negócios. Mostrando a interdependência entre os eixos (Ambiental, Social e Governança) e a necessidade dos novos profissionais e empreendedores incluírem em seus processos, o gerenciamento destes critérios para adoção de ações agora para a perenidade dos negócios.

 

Além de representantes das indústrias e organizações da sociedade civil, o  evento contou com a participação de acadêmicos das IES conselheiras acompanhando as apresentações da sala de aula, proporcionando aos futuros profissionais a apreciação das boas práticas. Como comenta Profº da Unicesumar e conselheiro no CPCE, Maicon Bueno: “Ressalto a importância das ações promovidas pelo CPCE na comunidade de Ponta Grossa. Temas como as ODS, inovação, inteligência artificial, startups devem ser abordados em todas as instituições de ensino. Os acadêmicos tiveram a oportunidade de vivenciar experiências, por meio de profissionais atuantes no mercado. Estas ações corroboram com a formação dos nossos alunos, em consonância com os pilares de ensino da nossa Instituição e em prol do desenvolvimento regional.”

 

Também acompanharam o debate alguns conselheiros seniores e juniores que entendem que a sustentabilidade deve sempre andar de mão dada com a inovação em prol da geração de renda, crescimento econômico e promovendo cidades inclusivas, resilientes e sustentáveis.

Fiep   Federação das Indústrias do Estado do Paraná   Direitos Reservados
Av. Cândido de Abreu, 200   Centro Cívico   80530-902   Curitiba   PR