Sindiminerais PR
Sindiminerais PR
Agricultura - 21/03/2013

Calcário é mais vantajoso do que gesso para corrigir o solo

Mineral não-metálico reúne propriedades únicas para o uso agrário, principalmente para redução da acidez

Apesar de muitos acharem que calcário e gesso agrícolas são semelhantes, esses dois produtos químicos possuem características e efeitos nos solos completamente diferentes. Cada um tem uma ação e efeito particular. Porém, na grande maioria dos casos o calcário leva vantagem tanto nos efeitos que proporciona, quanto no impacto econômico do investimento do agricultor.

O agrônomo e PhD pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Paulo Roberto Ernani, explica que o calcário é um composto químico básico forte com solubilidade extremamente baixa. É um produto alcalino que tem a habilidade de elevar o pH do solo, diminuindo, dessa forma, a acidez. Em sua composição, ele tem Ca (quando é calcítico) ou Ca e Mg (quando é dolomítico) e um ânion, normalmente o carbonato, que é o responsável por corrigir a acidez.

O gesso é um sal neutro constituído por Ca e S (CaSO4), normalmente originado como subproduto durante a fabricação do ácido fosfórico. Por ser um sal, e não uma base forte, o gesso não tem a capacidade de elevar o pH do solo, ou seja, não deve ser utilizado com a intenção de diminuir a acidez. Entretanto, quando faltar Ca ou S (enxofre) no solo, ele pode ser utilizado como fertilizante, para fornecer esses dois nutrientes às plantas. Nesse caso, as doses a serem aplicadas devem se situar entre 200 a 400 kg/ha, dependendo do solo.

Comparação - O calcário, além de elevar o pH, promove várias alterações nos atributos químicos do solo, entre as quais: elimina o alumínio tóxico caso o pH do solo atinja valores iguais ou maiores do que 5,4; aumenta a capacidade de troca de cátions (CTC) e, por isso, diminui a lixiviação de cátions; e aumenta a disponibilidade de nitrogênio, cálcio, fósforo, enxofre, molibdênio. Se o calcário for dolomítico, ele também aumenta a disponibilidade de Mg às plantas; se for de origem calcítica, ele pode até diminuir a disponibilidade de magnésio, dependendo do teor desse no solo. “Portanto, quando se pretende elevar o pH do solo, calcário é o produto a ser utilizado”, afirma o agrônomo.

O gesso, por ser um produto de mediana solubilidade em água, pode ser aplicado sobre a superfície do solo, não necessitando ser incorporado ao solo. Ao dissolver, ele libera cálcio e enxofre. Parte do cálcio vai para as cargas negativas e parte permanece na solução do solo, podendo ser absorvida pelas plantas ou lixiviada. Como o gesso não altera o pH do solo e com isso não aumenta a capacidade de troca de cátions (CTC), o Ca, ao ocupar algumas cargas negativas, desloca potássio e principalmente magnésio para a solução, que podem ser lixiviados, ao contrário do calcário.

O efeito residual no solo é outro fator no qual esses dois produtos diferem. Os efeitos do calcário permanecem no solo por até 20 ou mais anos, dependendo da dose aplicada. O efeito residual do gesso também é proporcional à dose aplicada, mas normalmente dura poucos meses, em função da maior solubilidade em relação ao calcário. O custo desses produtos em nível de propriedade é muito semelhante, pois é determinado principalmente pelo preço do transporte. Sendo assim, só se justifica aplicar gesso ao solo em situações onde o pH seja muito baixo e a disponibilidade de cálcio no subsolo seja limitante ao desenvolvimento das raízes. “Nas demais situações, deve-se preferir o calcário”, conclui.

Comentários - Deixe seu comentário

por Kethlyn Almeida - Terça-feira, 30 de Agosto de 2016 - 14:48:05 - Comentar

Olá, fiquei em duvida de algo, em um trexo do texto diz: "Como o gesso não altera o pH do solo e com isso não aumenta a capacidade de troca de cátions (CTC)" neste caso não serve para correção, e precisamos de um solo não muito ácido, no entanto um pouco mais adiante diz: " só se justifica aplicar gesso ao solo em situações onde o pH seja muito baixo [..]", como assim? o gesso não altera o pH, mas é recomendado aplicá-lo quando este estiver baixo? agradeço desde já, caso haja resposta.


por jose Alves filho - Terça-feira, 02 de Fevereiro de 2016 - 11:34:24 - Comentar

Gostaria de saber se posso enviar a análise de solo para ver se existe a necessidade do uso do gesso. Os agrônomos na região são reticentes em relação ao uso do gesso, portanto, para mim será importante uma avaliação com quem tem experiência no assunto.


por gladistony - Terça-feira, 19 de Janeiro de 2016 - 12:47:12 - Comentar

Muito boa as colocacoes sobre o gesso e calcario pois muitos confundem esses dois minerais e seus efeitos no solo.


por Joao carlos Bicalho - Domingo, 17 de Maio de 2015 - 11:28:01 - Comentar

Gostaria de saber se pode aplicar calcario e gesso juntos e se positivo a que proporçao.

grato.


Deixe seu comentário

Site Seu blog ou página pessoal


1. Os sites do Sistema Fiep incentivam a prática do debate responsável. São abertos a todo tipo de opinião. Mas não aceitam ofensas. Serão deletados comentários contendo insulto, difamação ou manifestações de ódio e preconceito;
2. São um espaço para troca de idéias, e todo leitor deve se sentir à vontade para expressar a sua. Não serão tolerados ataques pessoais, ameaças, exposição da privacidade alheia, perseguições (cyber-bullying) e qualquer outro tipo de constrangimento;
3. Incentivamos o leitor a tomar responsabilidade pelo teor de seus comentários e pelo impacto por ele causado; informações equivocadas devem ser corrigidas, e mal entendidos, desfeitos;
4. Defendemos discussões transparentes, mas os sites do Sistema Fiep não se dispõem a servir de plataforma de propaganda ou proselitismo, de qualquer natureza. e
5. Dos leitores, não se cobra que concordem, mas que respeitem e admitam divergências, que acreditamos próprias de qualquer debate de idéias.

 Aceito receber comunicação da Fiep e seus parceiros por e-mail
 

Filie-se

Associe-se