Estudo realizado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) constatou um retrato dramático da burocracia que recai sobre o comércio exterior brasileiro. As exportações brasileiras, mesmo com a informatização de parte dos processos, ainda estão sujeitas a 46 procedimentos diferentes, administrados por 12 órgãos. Esse processo todo afetou 23% das vendas ao exterior realizadas no ano passado. Nas importações, hoje são 72 obrigações controladas por 16 órgãos do governo, com impacto sobre 59% das compras.

"É um levantamento sistematizado de um conjunto de custos e encargos que chamamos de invisíveis", diz a gerente de Política Comercial da entidade, Constanza Negri, para o jornal O Estado de São Paulo. "Não que eles não sejam sentidos na pele pelas empresas, mas porque são de difícil acesso pela falta de transparência e de disponibilidade das informações", explica.

"Grande parte da falta de competitividade da indústria brasileira é provocada por esses custos", afirma o ex-secretário de Comércio Exterior Welber Barral. "O Brasil não conseguirá fazer uma abertura comercial sem resolver as ineficiências, que vão de logística inexistente a greves extorsivas (dos fiscais)."

A Apex-Brasil, por meio de seu Programa de Internacionalização, oferece soluções que apoiam centenas de empresas nesse desafio. A Agência e a Fiep promovem diversos workshops voltados ao Comércio Exterior. As capacitações empresariais na área são realizadas pela Gerência Executiva de Assuntos Internacionais pelo menos duas vezes por mês. Os cursos são de curta duração, com carga horária de 4h ou 8h e trazem temas atuais sobre o mercado internacional e os procedimentos necessários.

"Durante as capacitações o empresário tem acesso a várias informações e orientações de como agir e quais caminhos seguir em meio a burocracia e exigência do mercado internacional. Além de poder contar com o apoio dos palestrantes e instrutores, durante o curso os empresários compartilham suas experiências gerando um rico ambiente de aprendizado mútuo. Dessa forma, é possível afirmar que a informação gerada durante as capacitações empresariais auxilia os empresários que enfrentam dificuldades com a alta burocracia", explica Caroline Pinheiro do Nascimento, gerente executiva de Assuntos Internacionais.

Para saber mais e acompanhar as capacitações empresariais previstas para esse ano, acesse: http://www.fiepr.org.br/cinpr/servicoscin/cursos-de-capacitacao-previstos-para-2016-1-24498-306670.shtml

Com informações do jornal O Estado de São Paulo.