clique para ampliarclique para ampliar (Foto: Fotolia)

A produção primária florestal brasileira somou em 2017 R$ 19,1 bilhões, 3,4% mais em comparação com o ano anterior. O dado é da pesquisa Produção da Extração Vegetal e da Silvicultura, divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Do valor total, o extrativismo (exploração dos recursos vegetais naturais) respondeu por 22,7%, já a silvicultura (exploração de florestas plantadas para fins comerciais) representou 77,3%.

O estudo revelou que os produtos madeireiros representaram 90% do valor da produção total. A madeira produzida a partir de áreas plantadas para fins comerciais cresceu 5% em 2017, já na madeira proveniente da extração vegetal houve queda de 2,7%. "Com o maior controle na exploração de madeiras de espécies nativas e o incentivo à preservação dessas florestas, o setor tem evidenciado nos últimos anos um movimento crescente na participação das espécies exóticas. Estas mostraram-se mais bem adaptadas às condições locais, proporcionando maior produtividade, em substituição à atividade de extração madeireira", avalia o IBGE.

Segundo a instituição o plantio de eucalipto e pinus para produção madeireira representou 95,8% das áreas de cultivo de florestas plantadas para fins comerciais no país em 2017. A pesquisa demonstrou também que as áreas de eucalipto somaram 7,4 milhões de hectares no país em 2017, ou 75,2% do total nacional.

A grande parte da produção florestal do país está concentrada nas regiões Sul e Sudeste, que juntas responderam por 62,3% do valor de produção nacional no ano passado, impulsionadas pelo segmento de florestas plantadas. Na divisão por Estados, o Paraná liderou o valor de produção em 2017, com R$ 3,7 bilhões.

Com informações do site do Valor Econômico.

Leia mais notícias sobre o setor em http://www.fiepr.org.br/boletins-setoriais/2/.