clique para ampliarclique para ampliar (Foto: Fotolia)

Qual o custo de produzir carne bovina no Brasil? Entender melhor como calcular os índices econômicos da propriedade é a principal preocupação do pecuarista de corte brasileiro na atualidade. A informação foi levantada na maior pesquisa com o setor pecuário já realizada no País, envolvendo 1.630 entrevistados de 542 municípios diferentes de todos os estados do Brasil.

O trabalho foi executado por meio de parceria entre Embrapa, Universidade Federal do Pampa (Unipampa) e Núcleo de Estudos em Sistemas de Produção de Bovinos de Corte e Cadeia Produtiva da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (NESPro/UFRGS). No ranking geral da enquete, realizada entre os meses de abril e maio de 2018, o item Custos de Produção foi apontado como extremamente prioritário por 57,6% dos participantes, o que revela preocupação com a gestão e organização da propriedade.

"Com esse resultado, o pecuarista demonstra que quer compreender melhor como funciona o seu negócio, o registro de receitas e despesas da propriedade, assim como os indicadores de eficiência econômica, de forma que o ajude a organizar melhor e gerir o estabelecimento rural, obtendo, assim, mais lucratividade de sua atividade", interpreta o pesquisador da Embrapa Pecuária Sul (RS), Vinícius Lampert.

Não é apenas o setor de gado de corte que está trabalhando em cima da gestão da propriedade, criadores de gado leiteiro também estão buscando meios de reduzir os custos. A Frísia Cooperativa Agroindustrial, localizada nos Campos Gerais, oferece aos seus associados o programa Fazenda Frísia-MDA, voltado à capacitação gerencial das propriedades. O Programa visa a aumentar o desempenho dos animais, com qualidade e elevação da produção. Ao todo já são três grupos formados na região, com 103 produtores e 14 técnicos, em apenas dois anos de implementação do curso.

Mauro Sergio Souza, gerente de Negócios Pecuários da Frísia Cooperativa Agroindustrial, explica que os produtores que fazem parte desse programa estão tendo resultados diferenciados. "Antes da aplicação observamos que muitas propriedades tinham deficiências na área de gestão, os produtores não tinham uma boa base decisória e apresentavam dificuldade na condução do negócio.  Ao trabalharmos questões como gestão de pessoas e processos, tomada de decisão, acompanhamento de indicadores e diagnóstico de anomalia unida ao acompanhamento de uma equipe de especialistas tivemos ótimos resultados. Hoje, muitos proprietários conseguiram melhorar a qualidade do leite e elevar a produtividade, e tudo isso impacta diretamente no custo", analisa.

Com informações da Embrapa e da Frísia Cooperativa Agroindustrial.

Leia mais notícias sobre o setor em http://www.fiepr.org.br/boletins-setoriais/1/.