SINDIMATE

Sindicato da Indústria do Mate do Estado do Paraná

Envie para seus amigos

Verifique os campos abaixo!






Comunicar Erro

Verifique os campos abaixo!




Paraná quer agregar valor ao mate

Estado é o maior produtor de erva-mate do País, mas está longe de conquistar a liderança das exportações

A maioria dos brasileiros associa a erva-mate a cultura gaúcha. Entretanto, é o Paraná o maior produtor de erva-mate do País. O estado produz 337,4 mil toneladas. Porém, falta agregar valor a essa produção. Boa parte dessa matéria prima abastece a cadeia de outros estados, o que faz com que o Paraná perca sua riqueza e gere valor agregado ao produto paranaense em outras regiões.

O Sindimate Paraná vem buscando melhorias para a indústria, trabalhando para redução tributária do ICMS, da cobrança do PIS/Cofins, bem como, incluir a erva-mate no REINTEGRA pelo DECRETO Nº 7.633, que regulamenta o Regime Especial de Reintegração de Valores Tributários para as Empresas Exportadoras". Na outra ponta, existe um trabalho para agregar valor ao mate paranaense. "É uma força tarefa onde precisamos defender nossa indústria agregando maior valor ao produto”, defende Ignácio Carrau.

A atração de novas empresas e a fixação de marcas é essencial para esse avanço. O Paraná conta hoje com grandes indústrias do setor, como a Leão Alimentos e Bebidas (Grupo Coca Cola), Baldo S.A e Ervateira São Mateus.

“Tem toda uma corrente para trabalhar, essa transformação não vai ocorrer do dia pra noite. Estamos trabalhando para agrupar mais o setor, unir forças e não desistir porque é um caminho longo”, disse o presidente do Sindimate Paraná.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Os seguintes erros foram encontrados:








    1. Os sites do Sistema Fiep incentivam a prática do debate responsável. São abertos a todo tipo de opinião. Mas não aceitam ofensas. Serão deletados comentários contendo insulto, difamação ou manifestações de ódio e preconceito;
    2. São um espaço para troca de ideias, e todo leitor deve se sentir à vontade para expressar a sua. Não serão tolerados ataques pessoais, ameaças, exposição da privacidade alheia, perseguições (cyber-bullying) e qualquer outro tipo de constrangimento;
    3. Incentivamos o leitor a tomar responsabilidade pelo teor de seus comentários e pelo impacto por ele causado; informações equivocadas devem ser corrigidas, e mal entendidos, desfeitos;
    4. Defendemos discussões transparentes, mas os sites do Sistema Fiep não se dispõem a servir de plataforma de propaganda ou proselitismo, de qualquer natureza.
    5. Dos leitores, não se cobra que concordem, mas que respeitem e admitam divergências, que acreditamos próprias de qualquer debate de ideias.
    Congresso Brasileiro de Bebidas debate concorrência de mercado e tributaçãoSindimate realiza estudo da cadeia do mate em parceria com a Fiep e Embrapa