Sinfor PR
TI PARAN┴
Escassez - 21/03/2013

Desenvolvimento de TI traz desafios para o setor

Falta de profissionais qualificados Ú um dos principais problemas enfrentados no segmento

 setor de Tecnologia da Informação (TI) cresce gradativamente e oferece oportunidades de desenvolvimento para a economia do Brasil. No entanto, um dos principais gargalos enfrentados pelo mercado é a falta de profissionais qualificados. Uma pesquisa realizada pela Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação (Assespro), em parceria com a MBI e a Monkey Survey, revelou o quanto as empresas faturam com cada funcionário da área. Por trás dos números, o estudo aponta que há a necessidade de investimentos para aumentar a competitividade desse mercado brasileiro.

De acordo com a analista de Fomento e Desenvolvimento da Fiep, Maria Cecilia Cordeiro, “o Paraná tem sofrido com a falta de profissionais qualificados em todos os segmentos industriais, mas no caso da TIC e diante da complexidade que alguns segmentos apresentam – que demandam formação de nível superior, conhecimentos técnicos específicos, entre outros – este tem sido um grande desafio”, afirma.

Segundo a analista, há inúmeros motivos que justificam a baixa qualificação dos profissionais. “O crescimento acelerado do setor justifica a falta de capacitação dos trabalhadores. No entanto, a baixa qualificação pode se dar por inúmeros outros motivos: inexistência de cursos específicos de acordo com a necessidade da indústria até a carência de profissionais no mercado, em virtude do aquecimento da economia brasileira. São fatores que levaram ao menor nível de desemprego dos últimos anos, o que significa que não há profissionais disponíveis no mercado”, explica.

Os resultados da pesquisa realizada pela Assespro apontaram que apenas 16,5% das empresas faturam de R$ 75 mil a R$ 100 mil ao ano por cada profissional de TI. Já 15,4% e 13,3% das organizações alcançam entre R$ 150 mil e R$ 200 mil e entre R$ 100 mil e R$ 150 mil, respectivamente. O estudo também contemplou as empresas que faturam até R$ 25 mil ao ano por profissional de TI. Essas representam 4,6% do total, enquanto as que faturam acima de R$ 1 milhão ao ano por profissional somam 4,2% do total.

Empresas buscam aperfeiçoamento - A analista da Fiep afirma que, para reverter a carência existente no setor, as empresas estão investindo em treinamento para os profissionais. O que as empresas têm feito nesse sentido é investir em programas internos de qualificação profissional, buscando no mercado de trabalho os profissionais com conhecimentos na área (como universitários e recém-formados) e investindo em treinamentos na própria empresa, desenvolvendo os profissionais de acordo com suas necessidades.

Deixe seu coment´┐Żrio

Site Seu blog ou p´┐Żgina pessoal


1. Os sites do Sistema Fiep incentivam a pr´┐Żtica do debate respons´┐Żvel. S´┐Żo abertos a todo tipo de opini´┐Żo. Mas n´┐Żo aceitam ofensas. Ser´┐Żo deletados coment´┐Żrios contendo insulto, difama´┐Ż´┐Żo ou manifesta´┐Ż´┐Żes de ´┐Żdio e preconceito;
2. S´┐Żo um espa´┐Żo para troca de id´┐Żias, e todo leitor deve se sentir ´┐Ż vontade para expressar a sua. N´┐Żo ser´┐Żo tolerados ataques pessoais, amea´┐Żas, exposi´┐Ż´┐Żo da privacidade alheia, persegui´┐Ż´┐Żes (cyber-bullying) e qualquer outro tipo de constrangimento;
3. Incentivamos o leitor a tomar responsabilidade pelo teor de seus coment´┐Żrios e pelo impacto por ele causado; informa´┐Ż´┐Żes equivocadas devem ser corrigidas, e mal entendidos, desfeitos;
4. Defendemos discuss´┐Żes transparentes, mas os sites do Sistema Fiep n´┐Żo se disp´┐Żem a servir de plataforma de propaganda ou proselitismo, de qualquer natureza. e
5. Dos leitores, n´┐Żo se cobra que concordem, mas que respeitem e admitam diverg´┐Żncias, que acreditamos pr´┐Żprias de qualquer debate de id´┐Żias.

 Aceito receber comunica´┐Ż´┐Żo da Fiep e seus parceiros por e-mail
 

Associe-se

Associe-se