Simagran PR
Simagran PR
Rochas Ornamentais - 23/01/2013

Segmento aumentou a produção em 2012

Metade de tudo que foi produzido no ano é composto por rochas silicáticas com granito e similares

Estima-se que a produção brasileira de rochas tenha ficado em 9,3 milhões de toneladas em 2012, com variação positiva de 3,3% frente a 2011. O cálculo, realizado a pedido da Abirochas (Associação Brasileira da Indústria de Rochas Ornamentais), considera diversos indicadores que observam o incremento no volume físico das exportações de rochas, crescimento do PIB, desempenho da construção civil e informações de mineradores e beneficiadores.

As rochas silicáticas, envolvendo granitos e materiais similares, representam quase 50% do total da produção brasileira, seguindo-se os mármores e travertinos, com pouco mais de 18%, além de ardósias, quartzitos foliados e outros. Mais de 60% do total dessa produção concentra-se na Região Sudeste - destacando-se Espírito Santo e Minas Gerais - seguida pela Região Nordeste com quase 25%.

Segundo levantamento elaborado a pedido da Abirochas estima-se que o consumo interno de rochas ornamentais no Brasil tenha sido de 71,9 milhões m², em chapas de dois centímetros de espessura, no ano de 2012. Desse total, 2,1 milhões m² (materiais naturais e aglomerados) foram importados e 32,4 milhões m² (45% do total) correspondam a granitos e similares. O Estado de São Paulo ainda responde por cerca de 50% do total do consumo brasileiro de rochas para ornamentação e revestimento.

O consumo per capita de rochas no Brasil evoluiu de 15 kg em 2007 para 21 kg em 2012, volume que deve ser mantido em 2013.

Deixe seu coment�rio

Site Seu blog ou p�gina pessoal


1. Os sites do Sistema Fiep incentivam a pr�tica do debate respons�vel. S�o abertos a todo tipo de opini�o. Mas n�o aceitam ofensas. Ser�o deletados coment�rios contendo insulto, difama��o ou manifesta��es de �dio e preconceito;
2. S�o um espa�o para troca de id�ias, e todo leitor deve se sentir � vontade para expressar a sua. N�o ser�o tolerados ataques pessoais, amea�as, exposi��o da privacidade alheia, persegui��es (cyber-bullying) e qualquer outro tipo de constrangimento;
3. Incentivamos o leitor a tomar responsabilidade pelo teor de seus coment�rios e pelo impacto por ele causado; informa��es equivocadas devem ser corrigidas, e mal entendidos, desfeitos;
4. Defendemos discuss�es transparentes, mas os sites do Sistema Fiep n�o se disp�em a servir de plataforma de propaganda ou proselitismo, de qualquer natureza. e
5. Dos leitores, n�o se cobra que concordem, mas que respeitem e admitam diverg�ncias, que acreditamos pr�prias de qualquer debate de id�ias.

 Aceito receber comunica��o da Fiep e seus parceiros por e-mail