Simagran PR
Simagran PR
Mercado Externo - 23/01/2013

O faturamento das exportações de rochas ornamentais cresceu 6% em 2012

Importações de materiais rochosos naturais diminuíram em comparação com o ano anterior

No ano de 2012, as exportações brasileiras de rochas ornamentais e de revestimento totalizaram US$ 1 bilhão, correspondendo a um volume físico comercializado de pouco mais de 2,2 milhões de toneladas, segundo levantamento feito para a Associação Brasileira da Indústria de Rochas Ornamentais (Abirochas). Os números revelam que houve incremento de 6,08% no faturamento e de 2,27% no volume físico, em comparação a 2011.

As rochas processadas foram responsáveis por 76,8% do faturamento e 47,8% do volume físico das exportações. Segundo o relatório, a variação positiva foi resultado do aumento nos preços médios dos principais produtos exportados, além da maior participação de rochas processadas, que possuem maior valor agregado.

Da mesma forma como em anos anteriores, as exportações continuaram muito polarizadas em chapas polidas de granito, para os EUA, e em blocos de granito, para a China. Por isso, o impacto da crise econômica dos países da zona do euro foi pouco significativo para as exportações brasileiras de rochas. “Espera-se o mesmo para 2013, até pela provável ampliação das exportações para os EUA e para a China”, afirma o geólogo Cid Chiodi Filho, autor do levantamento.

Por outro lado, a dependência do mercado europeu, além de fatores competitivos, influenciaram de maneira negativa as exportações de produtos de ardósia e quartzitos foliados. Somadas, elas representam somente 7,16% das vendas externas de rochas ornamentais. “Apesar da dificuldade de estimar exportações para algumas rochas e tipos de produto, pela imprecisão das NCMs (Nomenclatura Comum do Mercosul), pode-se afirmar que também estão em queda as exportações de pedra-sabão”, afirma Chiodi Filho.

Superávit - As importações brasileiras de materiais rochosos naturais tiveram variação negativa de -10,28% (US$ 60,91 milhões) em valor e de -6,42% (98.983,70 toneladas) em volume físico, no ano de 2012. Por outro lado, a importação de materiais rochosos artificiais aumentou. A entrada do produto no Brasil somou US$ 47,48 milhões e o volume foi de 60.358,68 toneladas, com variação positiva de 57,48% e 96,24% respectivamente.

Para cada US$ 1,00 importado pelo Brasil, exportou-se apenas US$ 1,09. No setor de rochas, para cada US$ 1,00 importado, exportou-se US$ 17,41. O saldo da balança comercial do segmento ficou em US$ 999,50 milhões em 2012.

Deixe seu coment�rio

Site Seu blog ou p�gina pessoal


1. Os sites do Sistema Fiep incentivam a pr�tica do debate respons�vel. S�o abertos a todo tipo de opini�o. Mas n�o aceitam ofensas. Ser�o deletados coment�rios contendo insulto, difama��o ou manifesta��es de �dio e preconceito;
2. S�o um espa�o para troca de id�ias, e todo leitor deve se sentir � vontade para expressar a sua. N�o ser�o tolerados ataques pessoais, amea�as, exposi��o da privacidade alheia, persegui��es (cyber-bullying) e qualquer outro tipo de constrangimento;
3. Incentivamos o leitor a tomar responsabilidade pelo teor de seus coment�rios e pelo impacto por ele causado; informa��es equivocadas devem ser corrigidas, e mal entendidos, desfeitos;
4. Defendemos discuss�es transparentes, mas os sites do Sistema Fiep n�o se disp�em a servir de plataforma de propaganda ou proselitismo, de qualquer natureza. e
5. Dos leitores, n�o se cobra que concordem, mas que respeitem e admitam diverg�ncias, que acreditamos pr�prias de qualquer debate de id�ias.

 Aceito receber comunica��o da Fiep e seus parceiros por e-mail