Reforma tributária

As empresas brasileiras gastam em média 2.600 horas por ano para dar conta de suas obrigações com o Fisco, segundo pesquisa do Banco Mundial.

Entenda os principais problemas do sistema tributário brasileiro:

Ele é muito complicado
Existem no país 85 tipos de impostos, taxas e contribuições. Elas são regidas por um calhamaço de decretos e leis, que ganha a cada dia 40 novas normas. As empresas perdem tempo, enquanto os cidadãos comuns têm dificuldade em saber o quanto pagam.

Temos impostos em cascata
Diversos impostos no Brasil incidem mais de uma vez nas cadeias produtivas. Isso onera os produtos mais do que nos países com os quais o país concorre. Tributos em cascata são mais difíceis de serem eliminados por isenções fiscais, como as que são concedidas para as exportações.

Os tributos são regressivos
Na maioria dos países, os impostos são maiores para quem tem mais renda, ou seja, são progressivos. No Brasil, há estudos mostrando que isso não acontece. Assim, o sistema tributário torna mais difícil o trabalho de melhorar a distribuição de renda no país.

Guerra fiscal
No Brasil, a União, Estados e municípios têm o poder de tributar. Isso faz com que eles possam competir com incentivos fiscais para atrair empresas. O problema é que essa guerra fiscal desequilibra a competição entre empresas de Estados diferentes e dificulta a realização de uma reforma que contemple os interesses de todas as partes da Federação.

 

Como fazer a reforma tributária.