Veja o quanto você paga de imposto

PRODUTOS IMPOSTO
Abaixador de língua 30%
Absorvente higiênico 34%
Academia 27%
Achocolatado 38%
Aço (forma bruta) 37%
Açúcar 32%
Adestramento de cães 27%
Adoçante 37%
Adubo 25%
Aeronaves 28%
Agenda escolar 43%
Agogô 39%
Água 38%
Água c/ açúcar e edulcorantes (h2o) 53%
Água de coco 34%
Água-de-colônia (nacional) 50%
Água mineral 44%
Água oxigenada 41%
Água sanitária 26%
Agulha 34%
Álcool (material de limpeza) 33%
Álcool combustível 26%
Algodão de limpeza 35%
Alicate 40%
Almoço em restaurante 32%
Almofadas 34%
Amaciante 34%
Amendoim 37%
Andador 19%
Aparador (sala) 37%
Aparelho de barbear 41%
Aparelho de pressão digital 34%
Aparelho de som 37%
Aparelho MP3 ou iPOD 49%
Aparelho radiografia (raio-X) 38%
Aparelho telefônico p/ linha fixa 43%
Apito 34%
Apontador  43%
Aquecedor de água elétrico 48%
Aquecedor de ambientes 48%
Arame farpado 33%
Ar condicionado p/ residência 48%
Arma de fogo (revólver) 72%
Arranjo de cabelo 26%
Arroz 17%
Árvore de Natal 39%
Aspirador de pó 41%
Avental médico 31%
Avião 42%
Bacalhau importado 44%
Balanças (uso doméstico) 43%
Balão de borracha (bexiga) 34%
Band-aid (curativo) 30%
Bandeira (de pano) 36%
Bandolim 39%
Banheira 42%
Banjo 39%
Barbeador elétrico 48%
Barco 28%
Batata 11%
Batedeira 44%
Bateria 38%
Bicicleta 46%
Bijuterias 43%
Binóculos 52%
Biquíni 33%
Biquíni com lantejoulas 42%
Biscoito 37%
Bisturi 40%
Bola de futebol 46%
Bolo de brigadeiro 34%
Bolsa (geral) 40%
Bolsa de couro 42%
Bolsa térmica 37%
Bombom 38%
Boné 35%
Bongô 39%
Borracha escolar
43%
Bota 36%
Brinquedos 40%
Bronzeador 49%
Buffet (jantar) - restaurante 32%
Bumbo 39%
Buquê (flores) 18%
Buzina (automóvel) 36%
Buzina a gás 46%
Cachaça 82%
Cachimbo 61%
Cachecol 34%
Cachorro-quente 15%
Cadeira de praia 41%
Cadeira de rodas 18%
Caderno universitário 35%
Café 20%
Cafeteira 42%
Caipirinha 77%
Caixas de som amplificadas 46%
Calça (tecido) 35%
Calça de couro 40%
Calça jeans 39%
Calculadora eletrônica 45%
Camarão 33%
Câmera fotográfica 45%
Camisa 35%
Camisa xadrez 35%
Caneta 48%
Canivete 44%
Canjica 35%
Carne bovina 17%
Carrilhão com estante 37%
Cartão de Páscoa 37%
Cartuchos de tinta (impressora) 38%
Carvão vegetal 34%
Casa popular 48%
Casaco de pele vison 82%
Casamento no civil 17%
Catchup 41%
Cateter 30%
Cavaquinho 38%
CD (compact disk) 38%
Cebola 16%
Cera 47%
Cereal em lata 34%
Cerveja (lata) 56%
Cerveja (garrafa) 56%
Champagne 59%
Chapéu de couro 40%
Chapéu de palha 34%
Charuto/ cigarrilha 62%
Chave de fenda 41%
Chester/peru/pernil 29%
Chicletes 34%
Chinelo 31%
Chocolate 39%
Chope 62%
Chuveiro elétrico 48%
Cigarro 80%
Cimento 30%
Cinto de couro 41%
Cinto de segurança 25%
Clarineta 39%
Cobertor 26%
Cocada 37%
Coelho de pelúcia 30%
Cofre 46%
Cola Tenaz 43%
Colar havaiano 46%
Colchão 28%
Coletor de urina 20%
Colomba pascal chocolate 39%
Comadre/papagaio 34%
Computador acima de R$ 3.000,00 34%
Computador até R$ 3.000,00 24%
Condicionadores (banho) 37%
Confete/serpentina 44%
Consulta veterinária 27%
Conta de água 24%
Conta de luz 48%
Conta de telefone 46%
Contrabaixo 39%
Convite (impresso) 24%
Copiadora (máquina) 48%
Copos 38%
Corda 34%
Corneta 34%
Cortador de grama 38%
Cosméticos 55%
Cotonetes 34%
Creme de barbear 57%
Cremes de beleza 57%
Cruz de madeira 46%
Cuíca 38%
Decoração igreja (flores) 18%
Desfibrilador 35%
Desinfetante 26%
Desodorantes 37%
Detergente 30%
Dia da noiva (salão de beleza) 26%
Diamante (pedra bruta) 43%
Diesel 41%
Ducha higiênica 35%
DVD (aparelho) 50%
DVD (cartucho) 44%
Edredom 36%
Embarcações 28%
Energia elétrica 48%
Enfeites árvore de Natal 48%
Ervilhas 26%
Escola particular e curso de inglês 26%
Escova de dentes 34%
Esparadrapo 29%
Esponja de aço (pacote com 4 unidades) 41%
Espumante 60%
Estojos para lápis 40%
Extintor de incêndio 40%
Fantasia - roupa com arame 34%
Fantasia - roupa tecido 36%
Faqueiro 42%
Farinha de trigo 17%
Fechadura 42%
Feijão 17%
Fermento 38%
Ferro de passar 45%
Fichário 39%
Filmes p/ fotografia 45%
Filtro de ar 41%
Filtro de óleo 38%
Filtro de papel 37%
Fita 34%
Fivela 37%
Flauta transversal 40%
Flores artificiais 46%
Flores naturais
18%
Fogão 4 bocas 27%
Fogos de artifício 62%
Folhas para fichário 38%
Fondue de chocolate 39%
Fondue de queijo 37%
Formulários de papel 39%
Forno de microondas 55%
Fósforos 34%
Fralda descartável 34%
Frango 17%
Freezer 45%
Frutas 22%
Fubá 25%
Gaita 40%
Garrafa térmica 45%
Gás de cozinha 34%
Gasolina 53%
Gaze 29%
Geladeira 37%
Gelatina 37%
Gibão de couro 40%
Grama 13%
Gravador (aparelho) 52%
Gravata 35%
Graxa p/ sapatos 41%
Guarda-chuva/ sombrinha 35%
Guardanapo de papel 38%
Guarda-sol 37%
Guitarra 39%
Hospedagem em hotel 30%
Hotel para animais 27%
Imagem de santo 42%
Impressora 34%
Inalador 36%
Ingressos (tíquetes) 41%
Iogurte 33%
Ipad - tablet 39%
Isqueiro descartável 62%
Jantar em restaurante 32%
Joelheira 20%
Jogos vídeo 72%
Jóias 50%
Jornal 14%
Juros bancários 26%
Lâmina para microscópio 34%
Lâmpada elétrica comum 45%
Lancheiras 40%
Lápis 35%
Lareira 41%
Lavadora de louças 48%
Leite  19%
Leite em pó 28%
Lembrancinha (souvenir) 18%
Lençol 26%
Lentilha 26%
Liquidificador 44%
Livro 16%
Livro escolar 16%
Louça 45%
Lubrificantes 38%
Luminária 44%
Lupa 34%
Luva 41%
Luva cirúrgica 30%
Maca 34%
Macarrão 18%
Madeira bruta 42%
Maionese 34%
Maisena (amido de milho) 34%
Malas 40%
Malha 34%
Mangueiras p/ água 39%
Manteiga 36%
Maquilagem 56%
Máquina automática venda de bebidas 48%
Máquina de costura 36%
Máquina de lavar roupas 48%
Margarina (500g) 36%
Martelo 41%
Máscara cirúrgica 30%
Máscara de lantejoulas 43%
Máscara de plástico 44%
Material de construção (geral)
33%
Medalha de metal 38%
Medicamento de uso animal 13%
Medicamentos de uso humano 34%
Medidor de glicose 30%
Mensalidade do clube 27%
Mertiolate/ mercúrio 35%
Mesa de bilhar (sinuca) 62%
Microcomputador até R$ 3.000,00 24%
Micro Laptop acima de R$ 3.000,00 34%
Microfones 47%
Micro-ondas (forno) 59%
Microscópio 38%
Milho cozido 19%
Milho verde (vidro) 36%
Mochilas 40%
Molho de tomate (lata) 36%
Mostarda 41%
Moto (acima de 250 cc) 65%
Moto até 125 cc 44%
Muleta 40%
Navalha 44%
Nozes 36%
Óculos (lentes de vidro) 45%
Óculos de sol 44%
Óleo de cozinha 26%
Ovos de Páscoa 39%
Ovos de galinha 21%
Paçoca 37%
Pacote hotel, ingresso e van - desfile carnaval 36%
Pacote lua-de-mel (viagem) 30%
Pandeiro 38%
Panelas 36%
Panetone 35%
Pão de forma 17%
Pão francês 17%
Papel-alumínio 38%
Papel carbono 37%
Papel celofane 34%
Papel filtro 45%
Papel higiênico (com 4 rolos) 40%
Papel pardo 35%
Papel sulfite 37%
Parafuso 41%
Paraquedas 41%
Pás e picaretas 34%
Passagem aérea 22%
Pasta de dentes 35%
Pastas em geral  40%
Pastas plásticas 40%
Patins 53%
Pé-de-moleque 37%
Peixes 34%
Peneira de couro 40%
Pente 45%
Perfume importado 78%
Perfume nacional 69%
Peru/chester/pernil 29%
Piano 40%
Pilhas/ baterias 51%
Pincel 36%
Pinhão 24%
Pipeta de laboratório 34%
Pipoca (micro-ondas) 35%
Pipoca (milho) 35%
Plantas (pomar) 13%
Plástico 0,15 40%
Playstation 72%
Pneu 36%
Porta-retrato 43%
Postes e vigas de concreto 39%
Prato (instrumento musical) 38%
Pratos (cozinha) 34%
Prego 41%
Presépio - Natal 36%
Preservativo 19%
Protetor solar 42%
Quadro de parede 36%
Queijo 17%
Quentão 62%
Querosene para aviação 47%
Rações para gato e cão 41%
Reco-reco 38%
Refresco em pó 36%
Refrigerante (lata) 46%
Refrigerante (garrafa) 45%
Regador 44%
Régua 45%
Relógio 53%
Relógio despertador 48%
Revistas 19%
Roupas 35%
Sabão em barra 30%
Sabão em pó 41%
Sabonete 37%
Sal 15%
Sanduiche Mac Donald's 30%
Sapatos 36%
Saponáceo 39%
Saxofone 40%
Secador de cabelos 48%
Secadoura de roupa 48%
Secretária eletrônica 52%
Sela 41%
Seringa 30%
Serviço de TV por Assinatura 46%
Serra manual 41%
Shampoo 44%
Sidra 48%
Sinos/campainhas 43%
Sonda aspiração traqueal 21%
Sonda uretral 34%
Sopa de pacotinho 34%
Soro 30%
Sorvete de massa 38%
Sorvete (picolé) 38%
Sousafone 39%
Spray espuma 46%
Suco pronto 36%
Suplemento alimentar 34%
Taças 44%
Talco 49%
Talheres 34%
Tamborim 39%
Tapete 42%
Teatro e cinema 30%
Tecidos 36%
Teclado 39%
Telefone celular 40%
Telefonia 46%
Televisor 45%
Telha 34%
Tênis Importado 59%
Terço de plástico 41%
Termômetro 39%
Terno (traje) 35%
Tesoura 44%
Tijolo (milheiro) 34%
Tinta 36%
Tinta guache 36%
Tinta plástica  36%
Tipóia 20%
Toalha de banho 26%
Toalha de mesa 26%
Tomate 17%
Torneira 39%
Torradeira elétrica 48%
Traje do noivo 35%
Transporte coletivo 34%
Trator 32%
Travesseiro 26%
Triângulo (instrumento musical) 38%
Triângulo p/ veículo 45%
Trombone 40%
Trompete 39%
Universidade (mensalidade) 26%
Urna funerária 36%
Ursinho de pelúcia 30%
Utensílios de jardim 34%
Vara de pesca 48%
Vaso de plantas 41%
Vaso sanitário 40%
Vassoura 35%
Veículo Celta 1.0 38%
Veículo Toyota Corolla 2.0 41%
Veículo Celta 1.0 37%
Veículo Toyota Corolla 2.0  41%
Vela 41%
Ventilador 34%
Vermute 62%
Vestido 35%
Vestido de noiva 35%
Videocassete 44%
Vidro 42%
Vinagre 34%
Vinho 55%
Viola 40%
Violão 39%
Violino 38%
Violoncelo 40%
Vodca 82%
Whisky 61%
Xarope para tosse 35%
Xilofone 40%

Comentários

- Deixe seu comentário
por MARCOS MAGNO - Quarta-feira, 30 de Julho de 2014 - 21:56:36 - Comentar

Gostaria que fosse colocado de forma mais pedagógica o cálculo destes impostos, colocar que luminária tem 45% de imposto não tem precisão. Quero saber quais tributos foram usados para chegar a essa porcentagem. icms, iss, ipi, etc e quais seus respectivos percentuais. Fica muito genérico, precisa ser melhor explicado.


por Syllas Valadão - Quinta-feira, 24 de Julho de 2014 - 11:53:48 - Comentar

Implantei sistemas e treinei centenas de empresas no Brasil, grandes, pequenas e médias. De modo que conheço a realidade delas, conheço os lucros, as despesas, os prejuízos.

Hoje mesmo sou empresário e tambem conheço meus lucros.

Sim, o problema é a carga tributária.

O exemplo que você deu foi de empresas de segmento históricamente lucrativo no Brasil e no mundo, o ramo de automóveis. Um diretor da fabrica da Wolkwagem disse uma vez que, melhor que ser dono de fabrica de automoveis, é ser dono de banco.

Na opinião dele automóveis, é o segundo melhor negócio do mundo, portanto não podemos comparar o lucro de bancos e montadoras, com o lucro de pequenas e médias empresas.

Como analista de sistemas conheci centenas de empresas, e hoje como empresário do ramo grafico, conheco outras centenas.

Em geral o lucro do estado é MAIOR que o lucro do empresário.

Pequenas e médias empresas tem lucro médio de 20%.

No Brasil quase 80% das empresas são familiares, a maioria de pequeno e médio porte, e são essas as empresas que dão empregos e sustentam o Brasil.

Uma montadora tem lucros de 300 ou 400%,

Mas a maioria das empresas está na média de 25 ou 30%.

Eu mesmo no segmento de gráfica, é quase impossível ganhar mais de 30%.

A compra do papel ja vem tributada na faixa de 40%,
Depois de trabalhar o papel usando agua, luz, telefone, INSS dos funcionários, transporte de funcionários e alimentação, e outros insumos como tinhas, nesse tambem ja pago impostos, daí vendo o produto e pago mais 15% de impostos. Logo, um folhetinho que vendo sai com 55% de impostos.

55% para o governo, e 25% para o empresário.

O governo ganha mais que o drobro, isso na MAIORIA das empresas.

Sua interpretação é equivocada.

O problema no Brasil não são os empresários e sim, a quantidade de pessoas trabalhando.

De cada 100 pessoas aptas a trabalhar apenas 44 trabalham, portanto essas 44 sustentam as 56 que não trabalham, mais aquelas que são aposentadas e/ou as INAPTAS a trabalhar.

Diante disso, é impossivel que um país cresca.

A culpa não é do empreendedor, que cavou uma cisterna pra matar a sede do povo, a culpa é de não haver mais trabalhadores para cavar cisternas o suficiente e baixar o custo da água.

Se o Brasil continuar oprimindo os trabalhadores, eles param de trabalhar e voltaremos a miséria que sempre fomos.

Coloquem mais gente pra trabalhar, teremos mais produtos e o preço baixa naturalmente.

O melhor projeto social é o trabalho.

Emprendedor não tem culpa da miséria de um povo, a parte dele foi cavar o buraco da cisterna, o povo deve ali, lançar o balde e puxar a água, enquanto ele cava outro poço.

E o governo deve financiar e ensinar ao povo para que tambem tambem façam poços.

O resto é balela de gente preguiçosa.


Respondendo respondendo Syllas Valadão
por Tarcisio - Sexta-feira, 01 de Agosto de 2014 - 12:29:14 - Comentar

Pra ter mais poços, é preciso ter mais frente de trabalho, pra ter mais frente de trabalho, é preciso ter menor carga horaria, com menos impostos sobre o empreendedor; caso contrario não muda nada, Hoje temos ferramenta pra acelerar todos os processos; um trabalhador faz o trabalho de tres ou mais com mesmo temo e não ganha por isso.


Respondendo respondendo Syllas Valadão
por Tarcisio - Sexta-feira, 01 de Agosto de 2014 - 12:29:27 - Comentar

Pra ter mais poços, é preciso ter mais frente de trabalho, pra ter mais frente de trabalho, é preciso ter menor carga horaria, com menos impostos sobre o empreendedor; caso contrario não muda nada, Hoje temos ferramenta pra acelerar todos os processos; um trabalhador faz o trabalho de tres ou mais com mesmo temo e não ganha por isso.


Respondendo respondendo Syllas Valadão
por Tarcisio - Sexta-feira, 01 de Agosto de 2014 - 12:29:45 - Comentar

Pra ter mais poços, é preciso ter mais frente de trabalho, pra ter mais frente de trabalho, é preciso ter menor carga horaria, com menos impostos sobre o empreendedor; caso contrario não muda nada, Hoje temos ferramenta pra acelerar todos os processos; um trabalhador faz o trabalho de tres ou mais com mesmo temo e não ganha por isso.


por Syllas Valadão - Quinta-feira, 24 de Julho de 2014 - 11:53:41 - Comentar

Implantei sistemas e treinei centenas de empresas no Brasil, grandes, pequenas e médias. De modo que conheço a realidade delas, conheço os lucros, as despesas, os prejuízos.

Hoje mesmo sou empresário e tambem conheço meus lucros.

Sim, o problema é a carga tributária.

O exemplo que você deu foi de empresas de segmento históricamente lucrativo no Brasil e no mundo, o ramo de automóveis. Um diretor da fabrica da Wolkwagem disse uma vez que, melhor que ser dono de fabrica de automoveis, é ser dono de banco.

Na opinião dele automóveis, é o segundo melhor negócio do mundo, portanto não podemos comparar o lucro de bancos e montadoras, com o lucro de pequenas e médias empresas.

Como analista de sistemas conheci centenas de empresas, e hoje como empresário do ramo grafico, conheco outras centenas.

Em geral o lucro do estado é MAIOR que o lucro do empresário.

Pequenas e médias empresas tem lucro médio de 20%.

No Brasil quase 80% das empresas são familiares, a maioria de pequeno e médio porte, e são essas as empresas que dão empregos e sustentam o Brasil.

Uma montadora tem lucros de 300 ou 400%,

Mas a maioria das empresas está na média de 25 ou 30%.

Eu mesmo no segmento de gráfica, é quase impossível ganhar mais de 30%.

A compra do papel ja vem tributada na faixa de 40%,
Depois de trabalhar o papel usando agua, luz, telefone, INSS dos funcionários, transporte de funcionários e alimentação, e outros insumos como tinhas, nesse tambem ja pago impostos, daí vendo o produto e pago mais 15% de impostos. Logo, um folhetinho que vendo sai com 55% de impostos.

55% para o governo, e 25% para o empresário.

O governo ganha mais que o drobro, isso na MAIORIA das empresas.

Sua interpretação é equivocada.

O problema no Brasil não são os empresários e sim, a quantidade de pessoas trabalhando.

De cada 100 pessoas aptas a trabalhar apenas 44 trabalham, portanto essas 44 sustentam as 56 que não trabalham, mais aquelas que são aposentadas e/ou as INAPTAS a trabalhar.

Diante disso, é impossivel que um país cresca.

A culpa não é do empreendedor, que cavou uma cisterna pra matar a sede do povo, a culpa é de não haver mais trabalhadores para cavar cisternas o suficiente e baixar o custo da água.

Se o Brasil continuar oprimindo os trabalhadores, eles param de trabalhar e voltaremos a miséria que sempre fomos.

Coloquem mais gente pra trabalhar, teremos mais produtos e o preço baixa naturalmente.

O melhor projeto social é o trabalho.

Emprendedor não tem culpa da miséria de um povo, a parte dele foi cavar o buraco da cisterna, o povo deve ali, lançar o balde e puxar a água, enquanto ele cava outro poço.

E o governo deve financiar e ensinar ao povo para que tambem tambem façam poços.

O resto é balela de gente preguiçosa.


por Syllas Valadão - Quinta-feira, 24 de Julho de 2014 - 11:53:33 - Comentar

Implantei sistemas e treinei centenas de empresas no Brasil, grandes, pequenas e médias. De modo que conheço a realidade delas, conheço os lucros, as despesas, os prejuízos.

Hoje mesmo sou empresário e tambem conheço meus lucros.

Sim, o problema é a carga tributária.

O exemplo que você deu foi de empresas de segmento históricamente lucrativo no Brasil e no mundo, o ramo de automóveis. Um diretor da fabrica da Wolkwagem disse uma vez que, melhor que ser dono de fabrica de automoveis, é ser dono de banco.

Na opinião dele automóveis, é o segundo melhor negócio do mundo, portanto não podemos comparar o lucro de bancos e montadoras, com o lucro de pequenas e médias empresas.

Como analista de sistemas conheci centenas de empresas, e hoje como empresário do ramo grafico, conheco outras centenas.

Em geral o lucro do estado é MAIOR que o lucro do empresário.

Pequenas e médias empresas tem lucro médio de 20%.

No Brasil quase 80% das empresas são familiares, a maioria de pequeno e médio porte, e são essas as empresas que dão empregos e sustentam o Brasil.

Uma montadora tem lucros de 300 ou 400%,

Mas a maioria das empresas está na média de 25 ou 30%.

Eu mesmo no segmento de gráfica, é quase impossível ganhar mais de 30%.

A compra do papel ja vem tributada na faixa de 40%,
Depois de trabalhar o papel usando agua, luz, telefone, INSS dos funcionários, transporte de funcionários e alimentação, e outros insumos como tinhas, nesse tambem ja pago impostos, daí vendo o produto e pago mais 15% de impostos. Logo, um folhetinho que vendo sai com 55% de impostos.

55% para o governo, e 25% para o empresário.

O governo ganha mais que o drobro, isso na MAIORIA das empresas.

Sua interpretação é equivocada.

O problema no Brasil não são os empresários e sim, a quantidade de pessoas trabalhando.

De cada 100 pessoas aptas a trabalhar apenas 44 trabalham, portanto essas 44 sustentam as 56 que não trabalham, mais aquelas que são aposentadas e/ou as INAPTAS a trabalhar.

Diante disso, é impossivel que um país cresca.

A culpa não é do empreendedor, que cavou uma cisterna pra matar a sede do povo, a culpa é de não haver mais trabalhadores para cavar cisternas o suficiente e baixar o custo da água.

Se o Brasil continuar oprimindo os trabalhadores, eles param de trabalhar e voltaremos a miséria que sempre fomos.

Coloquem mais gente pra trabalhar, teremos mais produtos e o preço baixa naturalmente.

O melhor projeto social é o trabalho.

Emprendedor não tem culpa da miséria de um povo, a parte dele foi cavar o buraco da cisterna, o povo deve ali, lançar o balde e puxar a água, enquanto ele cava outro poço.

E o governo deve financiar e ensinar ao povo para que tambem tambem façam poços.

O resto é balela de gente preguiçosa.


por antunes - Sábado, 19 de Julho de 2014 - 20:11:27 - Comentar

é imposto que não acaba mais href="http://www.caixafederal.org/">Caixa


por Fernando Cerqueira - Quinta-feira, 10 de Julho de 2014 - 13:59:20 - Comentar

O s impostos, não estão só relacionado ao produto e sim relacionado a sua extração por exemplo se natural ou industrializado beneficiado ou não pagar os recursos naturais ou repo-los ( Eis a questão!!!) quanto a um imposto único traria benefício a pouco que guanhão muito com isto é o caso dos armamentos. e os produtos naturais principalmente a produção agricola teria serios problemas com estes custos.
A reforma tributária deve levar em conta o destino final do produto e sua origem e reposição quando natural sua reposição a nivel de preservação e recuperação nativa.


por Humberto Borges - Quarta-feira, 25 de Junho de 2014 - 21:11:23 - Comentar

Para termos uma noção correta desses impostos, é necessário mostrar o quanto desses impostos são FEDERAIS, ESTADUAIS e MUNICIPAIS. Tenho lido na Imprensa que os MAIORES IMPOSTOS DO BRASIL são os ICMS cobrados pelos governos estaduais. Também tenho lido que o governo federal tem diminuído e zerado vários impostos federais incidentes em carros, alimentos e outras mercadorias.


por Lucia Helena de Francisco - Quinta-feira, 12 de Junho de 2014 - 20:02:45 - Comentar

Imposto unico já.


por gilmar luiz alquieri - Sábado, 07 de Junho de 2014 - 05:47:17 - Comentar

isso e mais 27 por cento do meu salário, tudo para manter muitios politicos , se diminuisse para 1/5 dos politicos sobraira dinheiro para investir no pais, obs temos muitos politicos para pouco resultado ainda na maioria legislam em causa propria, nunca vi grave de politicos por salario, ja a população se noao faz greva fica com salario defazado. pense nosso.


por Edvane Dolor de Paula - Quinta-feira, 05 de Junho de 2014 - 11:24:11 - Comentar

No brasil teria que ter um sistema de imposto único, , valor fixo para todos produtos,e serviços,Assim fiscalizar o sistema mais simples.


Deixe seu comentário

Site Seu blog ou página pessoal


1. Os sites do Sistema Fiep incentivam a prática do debate responsável. São abertos a todo tipo de opinião. Mas não aceitam ofensas. Serão deletados comentários contendo insulto, difamação ou manifestações de ódio e preconceito;
2. São um espaço para troca de idéias, e todo leitor deve se sentir à vontade para expressar a sua. Não serão tolerados ataques pessoais, ameaças, exposição da privacidade alheia, perseguições (cyber-bullying) e qualquer outro tipo de constrangimento;
3. Incentivamos o leitor a tomar responsabilidade pelo teor de seus comentários e pelo impacto por ele causado; informações equivocadas devem ser corrigidas, e mal entendidos, desfeitos;
4. Defendemos discussões transparentes, mas os sites do Sistema Fiep não se dispõem a servir de plataforma de propaganda ou proselitismo, de qualquer natureza. e
5. Dos leitores, não se cobra que concordem, mas que respeitem e admitam divergências, que acreditamos próprias de qualquer debate de idéias.

 Aceito receber comunicação da Fiep e seus parceiros por e-mail