Sinditrigo
Sinditrigo
31/01/2012 - 31/01/2012

Governo disponibiliza R$ 178 milhões para a compra do trigo.

Operação beneficia São Paulo, Paraná e Rio Grande do Sul.

Governo disponibiliza R$ 178 milhões para a compra de trigo

Operação beneficia São Paulo, Paraná e Rio Grande do Sul

  Brasília (31/01/2012) - O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), por meio da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), aplicará R$ 178 milhões para a compra de até 380 mil toneladas de trigo, em fevereiro. O recurso foi aprovado pelo governo com o objetivo de contemplar a Política de Garantia de Preço Mínimo (PGPM) para esse produto, por meio de Aquisição do Governo Federal (AGF).

A decisão contempla Rio Grande do Sul, Paraná e São Paulo, estados em que os preços estão abaixo do mínimo. Serão destinados R$ 105 milhões para a compra de 220 mil toneladas de trigo no Rio Grande do Sul, R$ 60 milhões para a aquisição de 126 mil toneladas no Paraná, e R$ 13 milhões para a compra de 25 mil toneladas em São Paulo. O ministério informa que esses números poderão ser ajustados de acordo com a demanda do mercado.

Segundo o secretário de Política Agrícola do Ministério, Caio Rocha, por meio desse mecanismo, as distorções de preços pagos ao produtor são corrigidas para garantir o sustento da renda, além de remuneração mínima da colheita. "É a continuação do apoio do governo aos produtores de trigo desses estados", salientou Rocha.

Fonte: FAEP

Deixe seu comentário

Site Seu blog ou página pessoal


1. Os sites do Sistema Fiep incentivam a prática do debate responsável. São abertos a todo tipo de opinião. Mas não aceitam ofensas. Serão deletados comentários contendo insulto, difamação ou manifestações de ódio e preconceito;
2. São um espaço para troca de idéias, e todo leitor deve se sentir à vontade para expressar a sua. Não serão tolerados ataques pessoais, ameaças, exposição da privacidade alheia, perseguições (cyber-bullying) e qualquer outro tipo de constrangimento;
3. Incentivamos o leitor a tomar responsabilidade pelo teor de seus comentários e pelo impacto por ele causado; informações equivocadas devem ser corrigidas, e mal entendidos, desfeitos;
4. Defendemos discussões transparentes, mas os sites do Sistema Fiep não se dispõem a servir de plataforma de propaganda ou proselitismo, de qualquer natureza. e
5. Dos leitores, não se cobra que concordem, mas que respeitem e admitam divergências, que acreditamos próprias de qualquer debate de idéias.

 Aceito receber comunicação da Fiep e seus parceiros por e-mail
 

Filie-se

Associe-se