Sindirepa Sudoeste
Sindirepa Sudoeste
Planejamento Estratégico - 01/08/2013

Empresas começam a ganhar rentabilidade através da gestão tributária

Encerramento do primeiro semestre é o momento de avaliar a estratégia de prestação de contas junto ao Fisco, fazer ajustes e garantir vantagens competitivas

A transição para o segundo semestre é o período ideal para as empresas avaliarem a estratégia tributária elaborada no início do ano e fazer ajustes. A economia passou por oscilações ao longo dos primeiros seis meses de 2013. Para segurar a inflação e tentar minimizar as perdas do crescimento, o governo e o Banco Central lançaram mão de medidas que impactam na tributação das empresas. Entre elas a elevação na taxa de juros. Como o sistema tributário brasileiro é complexo, alguns ajustes podem trazer economia significativa para as empresas.

Os especialistas afirmam que, ao tratar a gestão tributária como estratégia de negócios, o ganho tem se revelado promissor. O diretor da Pactum Consultoria Empresarial, Gilson Faust cita exemplos de indústrias que obtiveram economia de 23% nessa área e de empresas atacadistas que alcançaram redução com impostos de 10%. “As premissas que validaram o planejamento estratégico lá atrás já não estão se confirmando. Por isso, quem se debruçar mais sobre o estudo tributário, do presidente ao controller, vai sair ganhando”, enfatiza.

Análise certa para ganho competitivo

Faust aponta que a complexidade do sistema tributário brasileiro pode revelar uma oportunidade a favor das empresas à medida que há espaço para criatividade e para leituras de diferentes cenários. Diante de tantas regras é possível confeccionar modelos de operação empresarial mais eficientes, muitas vezes não percebidos pelos concorrentes. Também atuam como mais uma alternativa as diversas e inúmeras obrigações acessórias criadas pela Receita Federal para cruzamento de informações. Saber decifrar o emaranhado do sistema é essencial. O resultado do trabalho pode representar ganhos ou, ao contrário, aumento do custo tributário ou do risco com multas e juros caso a empresa recolha menos impostos do que deveria.

Além do presidente da companhia, o mais interessado no assunto, um profissional que está sendo valorizado nas organizações é o controller. Cabe a ele acompanhar e garantir a observância de todo sistema, reunindo informações financeiras, corporativas, tributárias e legais para levar ao Fisco. “Ele passa a ocupar importante espaço nas corporações, uma vez que assessora a tomada de importantes decisões para a rentabilidade e diminuição de riscos do empreendimento”, explica Faust.

Deixe seu comentário

Site Seu blog ou página pessoal


1. Os sites do Sistema Fiep incentivam a prática do debate responsável. São abertos a todo tipo de opinião. Mas não aceitam ofensas. Serão deletados comentários contendo insulto, difamação ou manifestações de ódio e preconceito;
2. São um espaço para troca de idéias, e todo leitor deve se sentir à vontade para expressar a sua. Não serão tolerados ataques pessoais, ameaças, exposição da privacidade alheia, perseguições (cyber-bullying) e qualquer outro tipo de constrangimento;
3. Incentivamos o leitor a tomar responsabilidade pelo teor de seus comentários e pelo impacto por ele causado; informações equivocadas devem ser corrigidas, e mal entendidos, desfeitos;
4. Defendemos discussões transparentes, mas os sites do Sistema Fiep não se dispõem a servir de plataforma de propaganda ou proselitismo, de qualquer natureza. e
5. Dos leitores, não se cobra que concordem, mas que respeitem e admitam divergências, que acreditamos próprias de qualquer debate de idéias.

 Aceito receber comunicação da Fiep e seus parceiros por e-mail
 

SINDIREPA SUDOESTE

O braço forte do Reparador!

Associe-se