Siitep Pr
imagem
11/09/2014

Acionistas da PT aprovam redução de sua fatia na Oi

Acordo foi aprovado em assembleia por maioria expressiva de 98,25%

Empresa portuguesa ficará com 25,6% após a conclusão da fusão, mas poderá recomprar as ações em seis anos

Os acionistas da Portugal Telecom aprovaram nesta segunda-feira (8) em Lisboa os novos termos da fusão com a brasileira Oi, com a redução de participação para 25,6%.

Pelos termos anunciados em abril, quando foi anunciada a operação de capitalização e fusão, a Portugal Telecom ficaria com 37,3%.

A aprovação aconteceu pela maioria expressiva de 98,25% dos acionistas presentes, em uma assembleia que durou cinco horas. Os acionistas da Oi, que detêm 10% da PT, não puderam votar, por conflito de interesses.

A operação dependia de uma maioria qualificada de dois terços do capital.

A redução da participação da PT na Oi acontece depois de vir a público, em julho, que a PT tomou um calote referente a um empréstimo de € 897 milhões (R$ 2,6 bilhões) para a Rioforte, empresa do Grupo Espírito Santo e que entrou em recuperação judicial em julho.

Pelo acordo aprovado ontem, a holding controladora da PT assume integralmente a dívida com a Rioforte.

A diferença das ações da PT ficará em tesouraria e a holding portuguesa tem um prazo de seis anos para recomprar as ações da CorpCo, empresa resultante da fusão de Oi e PT.

Se conseguir reaver o empréstimo feito à Rioforte, a PT poderá recomprar 10% das ações no primeiro ano e 18% ao ano nos cinco anos subsequentes.

A nova participação acionária depende da aprovação da CVM (Comissão de Valores Mobiliários), que precisa autorizar a Oi a manter uma quantia grande de ações em tesouraria.

NOVO MERCADO

Em comunicado divulgado na segunda-feira, a Oi afirmou esperar que a aprovação da incorporação das ações seja concluída até o fim do primeiro trimestre de 2015, quando a CorpCo migrará para o Novo Mercado da BM&FBovespa e terá o seu capital pulverizado.

A intenção é que a CorpCo também seja listada nas Bolsas de Nova York e de Lisboa.

As ações da Oi registraram queda de 1,2% na segunda-feira, encerrando o pregão cotadas a R$ 1,64, após quatro dias de alta.

Já em Portugal, as ações da PT chegaram a disparar 4% antes da conclusão da assembleia de acionistas, com investidores apostando na aprovação da operação.

Pelo acordo aprovado na segunda-feira, a holding da PT seguirá listada na Bolsa de Lisboa, mas terá como ativo apenas os títulos vencidos da Rioforte e a opção de compra de ações na CorpCo.

A Oi é a quarta empresa em participação no mercado de telefonia móvel no país.

OI / 2013
FATURAMENTO R$ 28,4 bilhões
EBITDA R$ 9,58 bilhões
TOTAL DE DÍVIDAS R$ 30,4 bilhões
NÚMERO DE FUNCIONÁRIOS cerca de 18 mil
PRINCIPAIS CONCORRENTES Vivo, TIM e Claro

 

Composição da Oi

Comentários - Deixe seu comentário

por Jinna - Sexta-feira, 05 de Agosto de 2016 - 08:57:10 - Comentar

The importance of cultivating assumption of the best intentions in others cannot be over-estimated. Fostering this principal of, "goodness of intent," and committing to seeing others and the world through this lens makes for a successful, happy field of vision. This enables us to put our focus and energy to positive, productive outcomes. It lends to a spirit of cooperation and encouragement which is highly effective and satisfying for most people most of the time. That being said, these "rose colored glasses," as vibrant and pleasing as they are, must not become an excuse to look the other way when something needs a different focus, or fixed. We must not let them become blinders which are obviously ineffective, often negative, and occasionally dangerous. northgoapackages


Deixe seu comentário

Site Seu blog ou página pessoal


1. Os sites do Sistema Fiep incentivam a prática do debate responsável. São abertos a todo tipo de opinião. Mas não aceitam ofensas. Serão deletados comentários contendo insulto, difamação ou manifestações de ódio e preconceito;
2. São um espaço para troca de idéias, e todo leitor deve se sentir à vontade para expressar a sua. Não serão tolerados ataques pessoais, ameaças, exposição da privacidade alheia, perseguições (cyber-bullying) e qualquer outro tipo de constrangimento;
3. Incentivamos o leitor a tomar responsabilidade pelo teor de seus comentários e pelo impacto por ele causado; informações equivocadas devem ser corrigidas, e mal entendidos, desfeitos;
4. Defendemos discussões transparentes, mas os sites do Sistema Fiep não se dispõem a servir de plataforma de propaganda ou proselitismo, de qualquer natureza. e
5. Dos leitores, não se cobra que concordem, mas que respeitem e admitam divergências, que acreditamos próprias de qualquer debate de idéias.

 Aceito receber comunicação da Fiep e seus parceiros por e-mail