Envie para seus amigos

Verifique os campos abaixo!






Comunicar Erro

Verifique os campos abaixo!




13/04/2012

Indústria Gráfica

1. Introdução
A cadeia produtiva da indústria gráfica faz parte do complexo de informação e comunicação. Analisando esta cadeia separadamente, podem se destacar os segmentos de insumos, editorial e gráfico. Esse último pode ser dividindo em três processos: serviços de pré-impressão, impressão dos produtos e serviços de acabamento. Por fim, estão as distribuidoras e o mercado consumidor.

Em muitas atividades, a indústria gráfica se caracteriza como setor de serviços, pelas suas características de produção por demanda. Ainda assim, por ocorrer alteração de matéria-prima em produto final, os serviços gráficos estão inseridos na indústria de transformação.



2. Caracterização Técnica da Cadeia
A cadeia produtiva da indústria gráfica conta com diversas fontes de insumos. Na caracterização, destacam-se como principais fornecedores as indústrias de papel, indústria de embalagens, máquinas e equipamentos e de outros insumos, como tintas, reveladores e solventes.

As importações tem papel fundamental na indústria gráfica, pois o setor é extremamente dependente de tecnologia estrangeira, tanto de máquinas e equipamentos e insumos, bem como de softwares desenvolvidos no exterior.

Quanto aos insumos, podem destacar-se o papel e produtos de papel, nos quais se enquadram cadernos, envelopes, adesivos e formulários, ainda sem impressão. A indústria de embalagens também é importante fornecedora da indústria gráfica, tendo muitas vezes sua produção integrada à mesma. Por isso, ela será tratada juntamente com a cadeia da indústria gráfica na análise. Vale frisar a importância da indústria de embalagens para os demais setores da economia, pois contribui na comercialização de produtos industrializados, aumentando o seu valor agregado.  Os insumos químicos como tintas, reveladores, fixadores, solventes e vernizes são a base para os serviços de pré-impressão e impressão.

No segmento editorial existem empresas que prestam apenas o serviço de editoração, assim como há a edição integrada à impressão de livros, revistas, jornais e outros produtos gráficos. Como a análise refere-se à indústria de transformação, a edição apenas será considerada quando estiver integrada à impressão.

Os serviços de pré-impressão são o início do processo na indústria gráfica, representando toda a preparação das imagens a serem impressas, podendo ser feitos de forma mecânica ou digital.

Nos segmentos de impressão, podem ser citados os mais diversos tipos de produtos resultantes do processo gráfico: livros, revistas, jornais, periódicos, embalagens, etiquetas, envelopes, cadernos, impressos promocionais e fiscais. O processo de impressão é escolhido de acordo com o material que se deseja produzir, considerando a qualidade e durabilidade que se espera do produto final. Podem ser citados como processos de impressão: offset, flexografia, serigrafia, rotogravura  e digital.

Os serviços de acabamento referem-se às atividades que finalizam os produtos, definindo certas características que devem ser atendidas conforme o pedido do consumidor. As operações de refile, vinco, picote, colagem, intercalação, encadernação, entre outras, estão inseridas neste elo da cadeia, que pode ser representado por uma empresa especializada em tais serviços ou estar integrado ao restante do processo.

Os produtos como livros, revistas e similares, em geral, são repassados às distribuidoras. Os pedidos que são realizados diretamente nas empresas, como impressos fiscais e promocionais, cartões de visita, etiquetas e adesivos e determinadas embalagens, são entregues direto ao consumidor, conforme suas especificações. Os principais consumidores dos produtos da cadeia da indústria gráfica são os governos, livrarias, escolas, indústrias, empresas, bancas de jornal e empresas de publicidade.


2.1 Atores
Na Classificação Nacional de Atividades Econômicas, a cadeia da indústria gráfica está inserida na seção C, da Indústria de Transformação, e possui atividades na Divisão 17, de Fabricação de Celulose, Papel e Produtos de Papel, considerando a fabricação de embalagens de papel, no grupo 173, na Divisão 18, de Impressão e Reprodução de Gravações, e também na seção J, de Informação e Comunicação, Divisão 58, de Edição e Edição Integrada à Impressão, considerando apenas as atividades de edição integrada à impressão.


2.2 Produtos
Para identificar os produtos na Nomenclatura Comum do MERCOSUL (NCM), os produtos resultantes da cadeia de gráfica estão descritos no capítulo 49 - Livros, jornais, gravuras e outros produtos das indústrias gráficas; textos manuscritos ou datilografados, planos e plantas. Embalagens de papel estão no capítulo 48, de papel e cartão: obra de pastas de celulose, de papel ou de cartão, da Tarifa Externa Comum (TEC). 

Fiep   Federação das Indústrias do Estado do Paraná   Direitos Reservados
Av. Cândido de Abreu, 200   Centro Cívico   80530-902   Curitiba   PR