Envie para seus amigos

Verifique os campos abaixo!






Comunicar Erro

Verifique os campos abaixo!




18/04/2012

Empresas moveleiras importam madeira certificada dos EUA

As empresas brasileiras de móveis estão substituindo o uso de lâminas e madeiras tropicais e importando dos Estados Unidos.

As empresas brasileiras de móveis estão substituindo o uso de lâminas e madeiras tropicais e importando dos Estados Unidos. Assim espécies como nogueira, freixo, carvalho, maple, tulipeiro estão sendo cada vez mais utilizadas, especialmente quando o produto final é destinado ao mercado internacional.

Um dos motivos para essa importação é que os produtores norte-americanos geralmente obtêm os selos do Forest Stewardship Council (FSC) e do Sustainable Forestry Iniciative (SFI), dois dos sistemas de certificação mais conhecidos do mundo. 

Outro fator para essa importação é que o fornecimento norte-americano de madeira e laminados estadunidenses é constante e regular o ano inteiro. No Brasil, a época das chuvas faz interromper ou diminuir as entregas às indústrias, o que atrapalha o planejamento da empresa.

De acordo com o diretor da AHEC (American Hardwood Export Council), entidade que busca promover o uso e aplicações das madeiras duras americanas, Mike Snow, as condições climáticas do País favorecem para essa produção. O clima temperado e o solo fértil têm servido de alimento para um "mar de florestas" em todos os estados dos EUA, com madeira de lei distribuída de forma bem mais intensa, ao sul do Rio Mississipi.

Fonte: Painel Florestal (29/08/2010)

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Os seguintes erros foram encontrados:








    1. Os sites do Sistema Fiep incentivam a prática do debate responsável. São abertos a todo tipo de opinião. Mas não aceitam ofensas. Serão deletados comentários contendo insulto, difamação ou manifestações de ódio e preconceito;
    2. São um espaço para troca de ideias, e todo leitor deve se sentir à vontade para expressar a sua. Não serão tolerados ataques pessoais, ameaças, exposição da privacidade alheia, perseguições (cyber-bullying) e qualquer outro tipo de constrangimento;
    3. Incentivamos o leitor a tomar responsabilidade pelo teor de seus comentários e pelo impacto por ele causado; informações equivocadas devem ser corrigidas, e mal entendidos, desfeitos;
    4. Defendemos discussões transparentes, mas os sites do Sistema Fiep não se dispõem a servir de plataforma de propaganda ou proselitismo, de qualquer natureza.
    5. Dos leitores, não se cobra que concordem, mas que respeitem e admitam divergências, que acreditamos próprias de qualquer debate de ideias.
    Fiep   Federação das Indústrias do Estado do Paraná   Direitos Reservados
    Av. Cândido de Abreu, 200   Centro Cívico   80530-902   Curitiba   PR