Envie para seus amigos

Verifique os campos abaixo!






Comunicar Erro

Verifique os campos abaixo!




18/04/2012

Camex propõe manter tarifa sobre lácteos em 28%

Economia

Os ministros da Câmara de Comércio Exterior (Camex) decidiram hoje propor ao Mercosul que torne definitiva a Tarifa Externa Comum (TEC) de 28% para 11 produtos lácteos - basicamente leite em pó e queijos. A sugestão partiu do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) e contou com o apoio do Ministério da Agricultura. Em dezembro de 2009, o Grupo Mercado Comum (GMC) elevou de forma transitória a TEC desses produtos, que variava de 14% a 16% de acordo com o derivado do leite, para 28%. O porcentual só terá validade até 31 de dezembro de 2011 se não receber o aval dos demais países do bloco. O que o Brasil quer agora é que esse porcentual de tarifa seja permanente.

O objetivo da medida é o de ampliar a proteção ao setor frente à oferta de produtos que voltaram a ser subsidiados no mercado internacional. A avaliação do governo brasileiro é a de que, com o impacto da crise financeira internacional, alguns países adotaram medidas protecionistas que acabaram influenciando negativamente as exportações realizadas fora do bloco comum. Isso teria gerado uma "desorganização" do comércio do Mercosul.

Pêssego

A elevação da TEC para pêssego em calda foi outra demanda autorizada pelo conselho de ministros. A tarifa proposta foi de 35% e também precisará da aprovação do GMC. Hoje, a TEC para pêssego em calda é de 14%, mas cada país aplica uma tarifa para proteger seu mercado das importações.

Fontes: A Tarde e Agência Estado

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Os seguintes erros foram encontrados:








    1. Os sites do Sistema Fiep incentivam a prática do debate responsável. São abertos a todo tipo de opinião. Mas não aceitam ofensas. Serão deletados comentários contendo insulto, difamação ou manifestações de ódio e preconceito;
    2. São um espaço para troca de ideias, e todo leitor deve se sentir à vontade para expressar a sua. Não serão tolerados ataques pessoais, ameaças, exposição da privacidade alheia, perseguições (cyber-bullying) e qualquer outro tipo de constrangimento;
    3. Incentivamos o leitor a tomar responsabilidade pelo teor de seus comentários e pelo impacto por ele causado; informações equivocadas devem ser corrigidas, e mal entendidos, desfeitos;
    4. Defendemos discussões transparentes, mas os sites do Sistema Fiep não se dispõem a servir de plataforma de propaganda ou proselitismo, de qualquer natureza.
    5. Dos leitores, não se cobra que concordem, mas que respeitem e admitam divergências, que acreditamos próprias de qualquer debate de ideias.
    Fiep   Federação das Indústrias do Estado do Paraná   Direitos Reservados
    Av. Cândido de Abreu, 200   Centro Cívico   80530-902   Curitiba   PR