Envie para seus amigos

Verifique os campos abaixo!






Comunicar Erro

Verifique os campos abaixo!




18/04/2012

BNDES aprova financiamentos de R$ 2,6 bilhões para construção naval

Banco concede crédito de R$ 2,6 bilhões à Transpetro e de R$ 1,3 bilhão ao Estaleiro Atlântico Sul

O BNDES aprovou financiamento de R$ 2,6 bilhões para a aquisição, pela Petrobras Transporte S.A. (Transpetro), de sete navios-tanque, encomendados ao Estaleiro Atlântico Sul. Paralelamente, o Banco aprovou crédito de R$ 1,3 bilhão ao Estaleiro, que utilizará os recursos para financiar parte da produção das sete embarcações. O financiamento aprovado à Transpetro corresponderá a 90% do valor do investimento a partir da conclusão e entrega dos navios.

Os dois projetos serão realizados com recursos do Fundo da Marinha Mercante (FMM) e fazem parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) do Governo Federal.

O financiamento para quatro embarcações do tipo Suezmax e três do tipo Aframax é o primeiro da segunda etapa do Programa de Modernização e Expansão da Frota (Promef II) da Transpetro, que prevê a construção de 26 navios-tanque. O BNDES também financiou a expansão da frota da Transpetro no âmbito do Promef I, que licitou 23 navios-tanque.     

O projeto deverá gerar cerca de 4 mil empregos durante a fase de construção das embarcações. A construção naval é uma atividade intensiva em mão-de-obra. 

Além dos impactos sociais de geração de emprego, o projeto tem o mérito de desenvolver e capacitar o parque nacional de estaleiros, com a construção de navios-tanque de alta tecnologia. Ele permitirá ainda o aquecimento de diversos setores industriais, como o metalúrgico, o siderúrgico, o químico e o de instalações elétricas, para atender ao objetivo de nacionalização das embarcações.

Com base na política de valorização do setor de navipeças, o projeto persegue a meta de atingir percentual de cerca de 70% de conteúdo nacional, acima dos 60% usuais, considerando a aquisição de aço no mercado interno.

Os navios tipo Suezmax são destinados ao transporte de óleo cru e derivados e, devido às suas dimensões, alcançam o tamanho limite para passar pelo Canal de Suez. Os quatro Suezmax, a serem financiados pelo BNDES, com porte bruto de 153 mil toneladas cada um, serão equipados com um motor de  combustão principal, desenvolvendo potência máxima de 22.920 BHP, e terão sistema de posicionamento dinâmico.    

Os navios tipo Aframax, também destinados ao transporte de óleo cru e derivados, têm dimensões que permitem a sua operação em portos comerciais. Os três Aframax financiados pelo BNDES, com porte bruto de 107,5 mil toneladas, serão equipados com um motor de combustão principal , desenvolvendo potência máxima de 18.420 BHP e sistema de posicionamento dinâmico. 

Atlântico Sul – O financiamento de R$ 1,3 bilhão para o Estaleiro Atlântico Sul (EAS) corresponde à parcela do estaleiro durante a construção dos sete navios-tanque, encomendados pela Transpetro. 

Localizado em Ipojuca (PE), o estaleiro Atlântico Sul foi constituído em 2006, resultado da associação da Camargo Corrêa com a Construtora Queiroz Galvão, principais sócias com 80% de participação. O EAS está situado no Complexo Industrial Portuário de Suape e conectado às principais rotas mundiais de navegação, além de ter posição privilegiada em relação às grandes regiões produtoras de petróleo e gás natural. 

A carteira atual do estaleiro é composta de 14 navios-tanque tipo Suemax e oito navios tanque tipo Aframax, contratados pela Transpetro, em função de seu programa de modernização e expansão da frota. As encomendas garantem a ocupação do estaleiro até 2015.

Há, atualmente, no BNDES uma carteira de projetos de R$ 11,39 bilhões de financiamentos com recursos do FMM. Desse total, ainda restam ser liberados R$ 9,20 bilhões.”

Fonte: BNDES, 06/07/2010

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Os seguintes erros foram encontrados:








    1. Os sites do Sistema Fiep incentivam a prática do debate responsável. São abertos a todo tipo de opinião. Mas não aceitam ofensas. Serão deletados comentários contendo insulto, difamação ou manifestações de ódio e preconceito;
    2. São um espaço para troca de ideias, e todo leitor deve se sentir à vontade para expressar a sua. Não serão tolerados ataques pessoais, ameaças, exposição da privacidade alheia, perseguições (cyber-bullying) e qualquer outro tipo de constrangimento;
    3. Incentivamos o leitor a tomar responsabilidade pelo teor de seus comentários e pelo impacto por ele causado; informações equivocadas devem ser corrigidas, e mal entendidos, desfeitos;
    4. Defendemos discussões transparentes, mas os sites do Sistema Fiep não se dispõem a servir de plataforma de propaganda ou proselitismo, de qualquer natureza.
    5. Dos leitores, não se cobra que concordem, mas que respeitem e admitam divergências, que acreditamos próprias de qualquer debate de ideias.
    Fiep   Federação das Indústrias do Estado do Paraná   Direitos Reservados
    Av. Cândido de Abreu, 200   Centro Cívico   80530-902   Curitiba   PR