clique para ampliarclique para ampliar (Foto: Fotolia)

O Instituto Senai de Inovação (ISI) em Eletroquímica tornou-se recentemente Unidade Embrapii (Empresa Brasileira de Pesquisa de Inovação Industrial) e já no início formatou com 11 indústrias do setor de baterias automotivas um Projeto Consórcio, que incentiva soluções inovadoras.  É a primeira vez que o Senai-PR está desenvolvendo um programa nesta modalidade, com empresas concorrentes se tornando parceiras para que em conjunto para encontrar uma solução tecnológica e atender a novas exigências do mercado. Além de permitir que as empresas superem um desafio tecnológico, o projeto pretende aumentem a competitividade da indústria brasileira.

Esse primeiro projeto visa realizar estudos para o desenvolvimento de bateria automotiva de chumbo-ácido de alto desempenho, usando nanotecnologia. A iniciativa já está em sua segunda fase, que durará 24 meses e terá um investimento de R$ 3,7 milhões.

O programa visa propor projetos de inovação para pequenas, médias e grandes empresas, por meio dos institutos tecnológicos credenciados. Com o credenciamento, a unidade do ISI em Eletroquímica, localizada em Curitiba, terá um aporte por parte da Embrapii de R$ 10 milhões para projetos até esse valor.

No Brasil, 11 dos 21 Institutos Senai de Inovação operam nesse momento recursos da Embrapii. Luiz Carlos Ferracin, gerente executivo de Inovação do Sistema Fiep e diretor do ISI em Eletroquímica, explica que o credenciamento do ISI representa a chance de obter recursos para aplicar de forma direta, rápida e descomplicada em novos projetos. "De forma mais agressiva e pujante, vamos oferecer apoio financeiro e agilidade em projetos de inovação, contribuindo para o sucesso das indústrias do Brasil e mudando o comportamento empresarial de se arriscar mais na inovação", afirma.

Com informações da Agência Fiepe Revista Magazine Pb.

Leia mais notícias sobre o setor em http://www.fiepr.org.br/boletins-setoriais/7/.