SINDIVEST

Sindicato das Indústrias do Vestuário de Curitiba

Envie para seus amigos

Verifique os campos abaixo!






Comunicar Erro

Verifique os campos abaixo!




Eficiência energética tem impacto positivo na competitividade industrial

Para alcançar esta condição, especialista orienta que empresários busquem diagnóstico de parques fabris

clique para ampliarNão basta fazer adequações na iluminação para atingir a eficiência energética. (Foto: Agência Brasil)

Engana-se quem pensa que eficiência energética em meios industriais pode ser garantida apenas com a troca de luminárias nas áreas de produção e administração de uma empresa. De acordo com o analista de negócios do Instituto Senai, Carlos Fiuza, para se alcançar esta condição de eficiência no uso de energias (elétrica, térmica, combustíveis, entre outros) é importante fazer um diagnóstico do estado do parque fabril da indústria.

Conforme o analista, muitos parques fabris brasileiros ainda são obsoletos em comparação aos maquinários que estão disponíveis no mercado. Esse atraso na implementação acarreta ao empresariado problemas que vão desde o aumento nos gastos com energia à perda de competitividade. "Quando ele se moderniza, pode ganhar não só eficiência energética, como aumento na produção, redução no custo do produto e mais competitividade frente ao concorrente", assinala.

Essa modernização de equipamentos, completa Fiuza, também não precisa compreender, num primeiro momento, todo o parque industrial. Pode-se fazer substituições por parte, começando, por exemplo, por um sistema motriz, refrigeração, aquecimento (fornos e caldeiras), entre outros, conforme apontado no diagnóstico energético. "É importante salientar que o empresário, muitas vezes, vê a necessidade de reduzir o custo com energias, mas, por outro lado, não realiza as ações por falta de investimentos ou acaba investindo em ações que não apresentam resultados esperados, pois, as ações tinham sido tomadas no achismo ", diz.

Segundo Fiuza, não é raro o empresário tomar medidas que não surtirão tanto efeito do ponto de vista da eficiência energética, justamente por desconhecer as reais condições de seu parque fabril e não saber exatamente qual ação é mais eficiente naquele momento. O Senai, lembra ele, pode auxiliar os industriais nesse trabalho de diagnóstico, projetos e planejamento de ações a serem executadas para garantir mais produtividade e competitividade na área. A instituição pode, inclusive, apresentar um programa de eficiência energética para a indústria em questão.

"Com o próprio diagnóstico em mãos, o empresário também terá subsídios para buscar apoio de uma entidade financeira, para conseguir recursos para fazer as mudanças necessárias na fábrica", conclui o analista.

Sindivest Paraná deseja aos associados um Feliz Natal e próspero Ano NovoFeriados em 2017 podem causar perda de mais de R$ 66 bilhões para a indústria