SINDILOUÇA

Sindicato das Indústrias de Vidros, Cristais, Espelhos, Cerâmica de Louça e Porcelana, Pisos e Revestimentos Cerâmicos no Estado do Paraná

Envie para seus amigos

Verifique os campos abaixo!






Comunicar Erro

Verifique os campos abaixo!




O que fazer para melhorar o desempenho da sua indústria?

Bússola da Inovação, desenvolvida pela Fiep, pode ajudar no crescimento e na melhoria da produtividade

clique para ampliarclique para ampliarPesquisa estará disponível no site da Bússola da Inovação até o dia 30 de novembro (Foto: Reprodução)

A inovação se tornou um dos grandes desafios do dia a dia das indústrias. No entanto, ao mesmo tempo em que são necessárias soluções para demandas internas e de mercado, ainda há uma ideia de que inovação obrigatoriamente impacta em custos ou mudanças drásticas. Isto pode parecer longe da realidade, mas a inovação deve permear as atividades da empresa e pode ser aplicada em melhoria de uma característica do processo produtivo, da logística ou de gestão, por exemplo, não envolvendo apenas a questão tecnológica.

Mas, para descobrir qual é o ponto de partida para pensar em inovação, é necessário fazer um diagnóstico. Neste caso, os associados aos sindicatos filiados à Fiep dispõem de uma ferramenta chamada Bússola da Inovação. “O industrial responde a uma pesquisa via internet e recebe imediatamente um autodiagnóstico gratuito de inovação, que também vai apontar uma série benefícios, dicas e sugestões de como a indústria pode melhorar nesta questão. Este é um tipo de consultoria on-line e gratuito”, salienta Augusto Cesar Machado, coordenador do programa.

Entre os pontos que são destacados durante a participação na Bússola da Inovação estão sugestões de melhoria do ambiente interno, da gestão de ideias e da criatividade. Outros temas abordados são as ações de liderança, o intraempreendedorismo e a obtenção de recursos para colocar em prática algumas medidas.

O primeiro passo para participar da Bússola da Inovação é acessar o site www.bussoladainovacao.com.br e responder ao questionário, que ficará disponível na página até o dia 30 de novembro. A pesquisa leva em média 30 minutos para ser finalizada. Quem estiver respondendo pode fazer isto pausadamente, pois as informações são salvas automaticamente.

Após o preenchimento da pesquisa e o recebimento do diagnóstico, a indústria pode aplicar as ações internamente ou procurar unidades do Sesi e do Senai para aprimorar o trabalho. “Temos corpo técnico especializado para atender as demandas de inovação, seja por meio de consultorias ou por capacitações”, destaca Machado. O programa - que está em sua segunda edição - é realizado por meio de parceria com os sindicatos, que têm papel fundamental na disseminação da Bússola da Inovação e no estímulo à inovação.

De acordo com o coordenador, além de fornecer o diagnóstico de informação para as indústrias, a Bússola da Inovação também vai permitir à Fiep um entendimento sobre a realidade da inovação no setor industrial paranaense, destacando o desempenho por segmentos, regiões e porte. Machado ressalta que os dados preenchidos nas pesquisas são confidenciais e, ao final de todo o projeto, o industrial receberá um relatório sobre inovação em seu setor produtivo.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Os seguintes erros foram encontrados:








    1. Os sites do Sistema Fiep incentivam a prática do debate responsável. São abertos a todo tipo de opinião. Mas não aceitam ofensas. Serão deletados comentários contendo insulto, difamação ou manifestações de ódio e preconceito;
    2. São um espaço para troca de ideias, e todo leitor deve se sentir à vontade para expressar a sua. Não serão tolerados ataques pessoais, ameaças, exposição da privacidade alheia, perseguições (cyber-bullying) e qualquer outro tipo de constrangimento;
    3. Incentivamos o leitor a tomar responsabilidade pelo teor de seus comentários e pelo impacto por ele causado; informações equivocadas devem ser corrigidas, e mal entendidos, desfeitos;
    4. Defendemos discussões transparentes, mas os sites do Sistema Fiep não se dispõem a servir de plataforma de propaganda ou proselitismo, de qualquer natureza.
    5. Dos leitores, não se cobra que concordem, mas que respeitem e admitam divergências, que acreditamos próprias de qualquer debate de ideias.
    Insatisfações no ambiente de trabalho podem influenciar mobilização de trabalhadoresEnai aborda expectativas sobre os próximos anos de governo