SINDEMCAP

SINDICATO DAS INDÚSTRIAS DE EXTRAÇÃO DE MÁRMORES CALCÁRIOS E PEDREIRAS NO ESTADO DO PARANÁ

Envie para seus amigos

Verifique os campos abaixo!






Comunicar Erro

Verifique os campos abaixo!




Industriais podem acessar linhas de financiamento para adequações à NR-12

Norma regulamentadora demanda diagnóstico, adaptação de equipamentos e aquisição de maquinários. A gerência de fomento e desenvolvimento da Fiep auxilia os empresários na obtenção de recursos

clique para ampliarclique para ampliarCartão BNDES é uma das linhas que podem ser acessadas pelos industriais (Foto: Reprodução)

As adequações dos parques fabris conforme as regras da Norma Regulamentadora 12 (NR-12) estão levando os industriais a procurarem recursos para adequar suas empresas e continuar trabalhando. Com o objetivo de atender a esta demanda, as indústrias podem recorrer a linhas de financiamento de diferentes instituições. Existem várias opções no mercado e o empresário deve verificar qual delas é a melhor para o seu momento e sua meta. Os recursos podem ser acessados tanto para realizar o diagnóstico (recomendado) quanto para a compra ou adequação dos maquinários.

A gerência de fomento e desenvolvimento da Fiep está disponível para orientar na escolha mais viável de financiamento direcionada para a adequação à NR-12. Segundo o coordenador da área, Eduardo Kossovski, os analistas técnicos da gerência identificam diversas possibilidades para a indústria obter financiamentos, seja pelos bancos com o qual a empresa já opera ou com novas instituições financeiras, buscando melhores soluções.

Em casos de facilidade de acessar os recursos financeiros, existe a recomendação ao industrial, em primeiro lugar, realizar um diagnóstico identificando suas demandas para melhor mensurar o volume de recursos necessários para atingir seu objetivo. A partir disto são levantadas as prioridades e o que pode ser objeto de financiamento, otimizando a utilização dos recursos. “A indústria precisa planejar a solicitação de um financiamento para as suas necessidades, pois as linhas com as menores taxas e condições de financiamento normalmente demandam um projeto detalhado. Outra questão importante: as linhas existem, mas podem ocorrer problemas de documentação que prolongam o prazo de obtenção dos recursos para execução do projeto. As empresas não podem ter qualquer tipo de restrição”, ressalta Kossovski.

Para assuntos relacionados à NR-12, entre as opções está o Cartão BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico Social), que pode ser utilizado para financiar a consultoria e realização do diagnóstico da indústria. O Senai está dentre as instituições credenciadas no Cartão BNDES para prestar este serviço. “Esta é a possibilidade mais interessante que existe no mercado para um financiamento rápido (em média, 30 dias para novas solicitações). O Cartão BNDES permite que o industrial contrate um serviço diretamente”, afirma Kossovski. Além disso, esta modalidade permite a compra de equipamentos nacionais novos.

Ainda para maquinário, o industrial pode tentar o financiamento pelo programa BNDES PSI, linha de longo prazo para aquisição de máquinas e equipamentos de fabricação nacional e credenciados no FINAME. Neste programa, o governo federal subsidia taxa de juros, sendo muito atrativo para compra de novas máquinas. Quando os objetivos são melhorar as estruturas, reformar e adaptar equipamentos, a linha de crédito pode ser acessada pelo programa BNDES Automático. No entanto, para se habilitar, a indústria precisa apresentar um projeto de investimento detalhado.

Outra possibilidade é o Banco do Empreendedor, por meio da Fomento Paraná, que atende microcrédito (até R$ 15 mil) ou operações até R$ 300 mil de financiamento para empresas inscritas no Simples. Neste caso, o governo do estado ajuda o empresário paranaense com subsídios na taxa de juros, reduzindo o custo do financiamento. “Outro agente de financiamento é o BDRE (Banco de Desenvolvimento Regional do Extremo-Sul), que possibilita abrir um novo limite de crédito além do banco operador cotidiano da empresa. Este é um banco que opera somente linhas de financiamento e faz o todo o acompanhamento das etapas do projeto de investimento para harmoniosa prestação de contas dos recursos financiados”, salienta Kossovski.

Especificamente para o setor de panificação, o BRDE está operando o Cartão BNDES para necessidades das indústrias no atendimento das exigências da NR-12. Esta é uma modalidade que poderá ser estendida para outros setores conforme a demanda dos empresários.

Mais informações podem ser obtidas com a equipe da gerência de fomento e desenvolvimento da Fiep por meio do site www.fiepr.org.br/credito, pelo e-mail fomento@fiepr.org.br ou pelos telefones (41) 3271-9411, 3271-9136 e 3271-9911.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Os seguintes erros foram encontrados:








    1. Os sites do Sistema Fiep incentivam a prática do debate responsável. São abertos a todo tipo de opinião. Mas não aceitam ofensas. Serão deletados comentários contendo insulto, difamação ou manifestações de ódio e preconceito;
    2. São um espaço para troca de ideias, e todo leitor deve se sentir à vontade para expressar a sua. Não serão tolerados ataques pessoais, ameaças, exposição da privacidade alheia, perseguições (cyber-bullying) e qualquer outro tipo de constrangimento;
    3. Incentivamos o leitor a tomar responsabilidade pelo teor de seus comentários e pelo impacto por ele causado; informações equivocadas devem ser corrigidas, e mal entendidos, desfeitos;
    4. Defendemos discussões transparentes, mas os sites do Sistema Fiep não se dispõem a servir de plataforma de propaganda ou proselitismo, de qualquer natureza.
    5. Dos leitores, não se cobra que concordem, mas que respeitem e admitam divergências, que acreditamos próprias de qualquer debate de ideias.
    Vacina da gripe reduz número de faltas ao trabalhoBrasil ocupa últimas posições no ranking da produtividade