Senai Inovação - 10/02/2012

Curitiba dá mais um passo para ter Lei Municipal de Inovação 

Proposta apresentada pela Fiep trará benefícios para empresários e moradores de toda cidade


A Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), por meio do Senai Inovação, apresentou na Câmara de Vereadores de Curitiba, em dezembro de 2011, uma proposta para a criação da Lei Municipal de Inovação. O projeto de lei foi protocolado pelo vereador Felipe Braga Cortes (PSDB) e dispõe sobre medidas de incentivo à inovação e à pesquisa científica e tecnológica em ambiente produtivo na cidade de Curitiba. Nesta quinta-feira (9), os consultores do Senai Inovação estiveram reunidos com o diretor da Agência Curitiba, Gilberto José de Camargo para dar andamento à proposta e encaminhá-la a votação.

O projeto da Lei Municipal de Inovação prevê a criação de um fundo de recursos com base na receita tributária de Curitiba. De acordo com a proposta, 1% da arrecadação seria destinada ao subsidio de projetos tecnológicos e de inovação realizados pelas organizações e cidadãos estabelecidos ou domiciliados no município. O principal objetivo é promover o desenvolvimento econômico, social e a melhoria dos serviços públicos municipais de forma específica.

Clique e leia mais


Deixe seu coment�rio

Nome (obrigat�rio)
E-mail (obrigat�rio)
N�o ser� divulgado
Cidade (obrigat�rio)
 UF (obrigat�rio) 
Site
Seu blog ou p�gina pessoal
Mensagem




 Li e aceito o termo de responsabilidade online

1. Os sites do Sistema Fiep incentivam a pr�tica do debate respons�vel. S�o abertos a todo tipo de opini�o. Mas n�o aceitam ofensas. Ser�o deletados coment�rios contendo insulto, difama��o ou manifesta��es de �dio e preconceito;
2. S�o um espa�o para troca de ideias, e todo leitor deve se sentir � vontade para expressar a sua. N�o ser�o tolerados ataques pessoais, amea�as, exposi��o da privacidade alheia, persegui��es (cyber-bullying) e qualquer outro tipo de constrangimento;
3. Incentivamos o leitor a tomar responsabilidade pelo teor de seus coment�rios e pelo impacto por ele causado; informa��es equivocadas devem ser corrigidas, e mal entendidos, desfeitos;
4. Defendemos discuss�es transparentes, mas os sites do Sistema Fiep n�o se disp�em a servir de plataforma de propaganda ou proselitismo, de qualquer natureza.
5. Dos leitores, n�o se cobra que concordem, mas que respeitem e admitam diverg�ncias, que acreditamos pr�prias de qualquer debate de ideias.